terça-feira, 26 de junho de 2007

O meu indivíduo de cor favorito é o...

...Darth Vader. E ainda vem a minha mãe dizer que eu sou racista.

Podem não acreditar, mas eu faço parte daqueles 0,1% de pessoas que nunca, nem em criança, se mascararam. Nas minhas fotos da primária, em que toda a turma saia à rua mascarada de mão dada, dava bem para ver a exclusão social estampada na minha cara, sendo o único miúdo vestido à paisana. Digamos que a criança que era obrigada a dar-me a mão na rua também não era das mais felizes do grupo. Não dá lá muito status andar de mão dada com o único miúdo que não se veste de Zorro, Cowboy, Palhaço ou Pierrot (era esta a ordem da distribuição demográfica das máscaras na minha turma). Surpreendentemente ninguém se vestia de menina, tendo nascido com uma pilinha (nem o reverso). É que hoje em dia é no mínimo caricato ver a quantidade de supostos machões do dia-a-dia, vestidos de gaja a divertirem-se que nem umas Alices no país das maravilhas. "Ah isto é só para me divertir, eu estou absolutamente seguro da minha sexualidade". Vê-se.

Seja como for, depois de uma tarde de introspecção espiritual intensa, cheguei à conclusão de que era possível, um dia destes, eu aproveitar o carnaval como o comum dos #cough#cromos#cough# mortais. Ai esta tosse. Ao menos já não é acompanhada de expectoração.

A única forma de isto se tornar possível seria eu arranjar um fato de Darth Vader, completo com sabre de luz e tudo, igualzinho ao dos filmes. A máscara nem precisava de fazer aquele efeito ofegante de distorção da respiração. Deixava isso a cargo da minha rinite e sinusite crónicas.

Era só uma questão de começar a ver passar as moças, em trajes pouco realistas para um Fevereiro europeu, até sentir a a necessidade de usar a Força. O lado negro da mesma, claro está.


Vuuuuuuuuummm Vuuuuuuum Swooooooouuuuuuuuuuuuush (som do meu sabre de luz a usar o lado negro da força à grande e à francesa).

Must ...rrrrooooooooo... nail ...rrroooooooo... Princess ...rrrrooooooo... Leia.

1 comentário:

Anónimo disse...

Desculpa lá, se nos traumatizantes e salazarentos anos da primária (ainda que tivesse sido nos 80's) tivesses à tua disposição uma boa máscara de Darth Vader, tinhas usado. A másacara tinha-te poupado à humilhção do reconhecimento popular, além de que teria sido super fixe!!!
Quanto aos trajes femininos pouco realistas para um Fevereiro europeu, let's hope their skirts are no match for the power of the dark side!!!