terça-feira, 7 de agosto de 2007

Temos pena

Que as penas de prisão tenham durações diferentes, consoante o crime cometido, eu entendo. O que não me entra na cabeça são os critérios para a atribuição de liberdade condicional e as reduções de pena por bom comportamento. Eu acho que o bom comportamento, a ser tido, É CAPAZ DE SER MAIS EFICAZ ANTES DE IR PARAR À PRISÃO (a sociedade agradece). Um preso, ao não armar confusão na prisão e fazer tudo o que lhe mandam, não está a fazer um favor a ninguém. Pelo menos a mim não está. Pelo contrário, acaba por passar mais despercebido e assim já ninguém lhe corta partes importantes do corpo (eu sei como são as coisas nas prisões, vejo o Prison Break).


Quando muito, se fizerem malandrices durante o cumprimento da pena, merecem que lhes seja dado um puxão de orelhas extra. Extra doloroso.

3 comentários:

O pensador disse...

Partilho a sua opinião.

Sei que alguns pedófilos condenados a longas penas,são de um extremo bom exemplo nas cadeias,para conseguirem sair mais cedo (ou em condicional..)e poder violar outra criança,antes do tempo regulamentar...

Eles costumam chamar isso de "Bónus por bom comportamento".

Anónimo disse...

E duro ser preso... mas nao vejo o prison break... ja vistes a quantidade de sabao q a malta tem de apanhar!!?? E por isso q eles tem as reducoes de pena!! :)

*tεrεsα* disse...

Concordo com o meu amigo Pensador.

Para os crimes mais graves não devia haver redução da pena.

E o Padre Frederico que fugiu devido a uma saída precária??? Portugal nem sequer pediu que ele fosse julgado no Brasil para cumprir o resto da pena. Tem um mandato de captura internacional. Não pode sair do Brasil senão é apanhado... Coitadinho... num país "tão tão pequeno" como o Brasil, com "tão tão poucas" praias, com um clima "tão tão mau", até parece que o homem vai mesmo sair de lá...

Agora digam-me, quem é que no seu juízo perfeito concede uma saída precária a um criminoso destes e nem sequer acciona vigilância????