quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Se não fosse preciso, melhor ainda, mas...

...eu dava o meu testículo direito só para poder ser júri da Família Superstar.


Por exemplo, por causa disto:



Este duo está para Jesus Cristo como a kryptonite está para o Super-Homem (que dizem que é Jesus Cristo, mas com uma fatiota mais anos 80 e depois de ter ido à cabeleireira). A isto se chama verdadeiramente "espalhar a palavra do Senhor". Não a deixem é espalhada na minha rua, que gosto de ver isto limpinho. Não querem baixar o tom, para cantarem com mais à vontade? É que baixar o nível...


E por isto:



Ó meu amigo. Nem que cantasse há 100 anos. Não ponha é as culpas na sua filha (ai porque ela patati patata). CDs qualquer um grava (até eu gravo, se for preciso). E quanto ao facto de já ter estado em palco a cantar ao lado de artistas, ou isso acontece num espectáculo da Chiquita, ou então esqueceram-se de contratar segurança. Continuação de uma vidinha de saúde e alegriazinha, sim?


Já que estou com a mão na massa (uma delas, porque a outra está a agarrar no... rato):



Epilepsia não é dança, que eu saiba. No entanto, aposto que este cabresto tem namorada, ao contrário de muito indivíduo de valor que anda para aí. Além disso ele até tinha a tarefa muito facilitada. Pensem comigo: como é que é possível assassinar música tão boa como a do Morango do Nordeste? É que era meio caminho andado para passar a eliminatória.


O post já vai longo, mas é complicado abdicar de um testículo (mesmo não sendo o meu preferido) sem uma justificação absolutamente plausível:



Que programa tão democrático. Desde que sejam da mesma família, até prostitutas deixam participar. RTP1, ponham os olhos neste programa, caso queiram reformular a elitista Operação Triunfo. A exclusão social deixa feridas muito profundas; todos os seres humanos merecem uma chance (chance assenta tão bem no final de uma frase destas...). Quanto às músicas escolhidas, resta-me pedir a Deus para que vos ajude a esquecer esse amor (a 5 euros cada um). "Cá pra mim tudo o que seja amor, quanto mais melhor" - esta é polivalente, uma profissional que se presta a tudo, com vista à satisfação do cliente. Obrigado pela vossa participação. Podem-se vestir.


Cá vai mais uma razão, como quem não quer a coisa:



Tão fofinho... Trouxe dois originais dele! É a vantagem deste país. Qualquer um se acha poeta. Mas aquele até tinha valor. Qualquer letra que envolva ratazanas, um velhote e uma camisete... Ele tinha 14 quando escreveu aquela canção, e já nessa altura dava bom uso à colher. Vícios precoces...


Mas de vez em quando também por isto:



A mãe é humilde e a filha é amorosa. Para todos os efeitos, ainda bem que a quantidade de anormais é vastamente superior à quantidade de pessoal fixe. É que mais vale rir do que chorar, ainda que seja de emoção (Nélson, estou contigom sniff).


Senti-me na obrigação de acabar este post com energias positivas quentinhas, só para não dizerem que o meu blog, dia após dia, é apenas uma fonte de pesadelos :)

4 comentários:

inês, a anónima disse...

parece-me que vimos o mesmo programa e achámos piada aos mesmos cromos. Eu tambem gostava de ser juri, mas n tenho nenhum testiculo para dar:P

2 gajas super mega ri idiotas disse...

As lágrimas vieram-se-me aos olhos! Tou muito emocionada e só vi 3 vídeos!Não aguento mais...

Borboleta Azul

Pedro M. disse...

Inês, quem não caça com testículo, caça com ovário...

O pensador disse...

Eu costumo ser muito mauzinho ao assistir algumas participações nestes programas ,mas até nem vou ser.
Digo já que não é para qualquer um cantar a frente de um televisor.
É preciso muita coragem e uns nervos de aço!!
A gente ri-se,mas se calhar fariamos uma cena pior do que a deles!