quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

I'm a material boy =)

Um dos blogs que costumo visitar é o da minha amiga blogueira Sahara. Gosto de blogs pessoais, despretensiosos e com uma ligeira tendência para a parvoíce (mas não mais do que a minha, para não me sentir ameaçado). Hoje encontrei lá este textinho:

Uma pessoa não vale pelo que tem. Vale pelo que é. Há pessoas que, porque já têm, pensam que já são. Não são. Nem se sabe se virão a ser.

Autor anónimo

Apesar de pequeno, este texto deixou-me a pensar durante algum tempo (cerca de 22 segundos). Esse momento de introspecção levou-me à seguinte conclusão:

Eu, enquanto não valho pelo que tenho, lá me vou conformando em valer por aquilo que sou... como se isso valesse alguma coisa.

5 comentários:

2 idiotas super hiper ri fixes disse...

Aquilo que somos é um bem valioso, muito mais do que aquilo que temos.

Borboleta azul

Sahara disse...

Epá, muito e muito obrigada. É que é mesmo isso que pretende ser o meu estaminé (pessoal, despretensioso e com uma GRANDE tendência para a parvoíce). Se tu conseguiste captar isso ou és muito perspicaz ou eu estou no caminho certo! :D
Tá bem, és tu que és muito perspicaz.
Para coisas sérias já basta o trabalho que é todo formal. Tenho necessidade de dar azo à minha parvoíce crónica. Um dia explico-te porquê.
Bjo

O pensador disse...

O "pouco" que já és,não nos faz sentir desejos de conhecer o "muito" que possas vir a ser...

Pedro,já vales muito pelo pouco que tens!

NI disse...

Ora bem Pedrinho, por aquilo que vales, por aquilo que não sabes se vales e por aquilo que podes vir a valer (isto está a ficar deveras complicado), desejo-te um Natal em grande um 2008 ainda maior.

Beijos

NickyBlue disse...

Uma bela conclusão :) E um igualmente bem feito cheque-mate d' O Pensador ;)

Palavra-chave: despretensiosismo.