segunda-feira, 30 de julho de 2007

Chuto na veia de poeta


"Um dia no parque"


Em cada jardim há uma flor.
Em cada criança há um sorriso.
Há também um casal na relva
A ignorar o aviso.

A relva não é para pisar!
Há outros locais para isso.
Se queriam tanto pinocar
Faziam em casa o serviço.

É que eu aprecio passear;
Caminhar pode ser lúdico,
Mas dispensava visionar
Tanto preto pêlo púbico.

Se ela tivesse cara de fidalga
Os meus olhos eu não tapava.
Mas afinal aquilo era a nalga...
Nem a prateleira se escapava!

Continuei o meu passeio
Como se nada tivesse presenciado.
Não vai ser um devaneio
Que me vai deixar apoquentado.

Porque...

Há tantos pombos a voar!
Tantos patos para abater!
Em qual devo acertar
Para posteriormente comer?

Ia ser um processo demorado
Com a minha medíocre pontaria
Optei logo por um gelado.
Decidi que hoje não mataria.

É o que dá ser tolerante
E amar com alma a natureza
Sem esquecer o importante:
Não basta ter a arma acesa.
Usar um método controlado,
Não requer muita destreza.
Um contraceptivo lubrificado,
Não é sinal de fraqueza.


Pedro M. (depois de beber uma imperial; para a próxima bebo duas)

sexta-feira, 27 de julho de 2007

Não sirvo para grande coisa...

...mas sempre que alguém tem uma dúvida completamente fora de contexto, por comparação ao perfil de quem pergunta, é a mim que vêm sempre chatear. Um amigo, cuja ligação mais próxima que tem a animais é assustar a sua cadela e rir-se a seguir, perguntou-me ontem:

"X": Puto, preciso de saber quando é que dormem os cisnes. Não encontro nada na internet.

"Pedro": Segundo estive a ler, os cisnes são aves de hábitos diurnos, logo, e apesar de fazerem pequenas sestas ao longo do dia, costumam dormir de noite. A título de curiosidade, e por ser um amigo formidável, partilho também contigo a forma de dormir dos cisnes. Estas nobres aves tanto dormem dentro de água, flutuando, como de pé, apenas com uma pata assente no chão, e com a cabeça escondida debaixo da asa.

"X": Isso são os flamingos, pá! Eu quero é saber dos cisnes FO#$#%$&#SE!

Vamos lá por partes. Qual é a coisa, qual é ela, que joga à macaca ao pé cochinho no recreio da escola? Será a menina (ou o menino gay)? Não, é o flamingo! É engraçada também a versatilidade dos flamingos enquanto membros da tripulação de barcos pirata que tiveram encontros imediatos com crocodilos ou tubarões. Além disso, quando bato com o pé nalguma coisa dura e começo a pular ao pé cochinho, não grito de dor, começo a grasnar. O Paul McCartney divorciou-se da ex-mulher porque, durante as primeiras noites de intimidade, começou a estranhar quando a senhora retirava a prótese. Tinha, na realidade, casado com um flamingo. O ioga é o ritual de acasalamento predilecto dos flamingos. Há suspeitas de que certas posições do kamasutra tenham sido idealizadas por flamingos, razão pela qual qualquer casal que se esforce por apimentar a sua vida sexual, acabe por falhar redondamente, caindo ou na monotonia ou na descoberta de práticas como o swing e o sadomasoquismo.

É precisamente isso; de facto, os flamingos são os únicos seres vivos que, em determinado momento da sua existência, têm a capacidade de se aguentar apenas numa perna. Fiquei esclarecido, e peço desde já desculpa a todos os flamingos que insultei, ao assumir que essa capacidade única de equilíbrio podia ser atribuída a qualquer um, inclusivamente aos meus sobrinhos. Ou serão também eles flamingos?

PS: O meu amigo, na realidade, não se chama X, apesar de eu me chamar Pedro. Também não pretende ser uma forma de disfarçar a possibilidade de eu ter um amigo chamado Ximenes. Eu nunca teria um amigo chamado Ximenes. Até poderia ter uma amiga chamada Ximenes, mas tinha de ser podre de boa. Mesmo muita boa. Boa e fácil. Mas asseada. Só não quero é que, ao revelar a sua verdadeira identidade, lhe sejam feitos juízos de valor injustos, podendo até correr o risco de perder o emprego. Pensando bem, se alguma gaja boa se chamasse Ximenes, eu seria o Menino Jesus e, nesse caso, pediria ao meu Pai para que todas as pessoas pudessem ter as estonteantes capacidades físicas e motoras dos flamingos.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Aviso urgente!!!

Para todos aqueles que preferem concluir os seus estudos no ensino superior em vez de ganhar uma maquia considerável no euromilhões, caso lhes seja dada oportunidade de escolha:

Encontram-se deitados num pinhal, em estado crítico de saúde. No preciso momento em que disfrutavam de uma agradável merenda, foram atingidos por um lenhador com 7 dioptrias no olho esquerdo e 9,5 no olho direito, que se tinha esquecido dos óculos no conforto do lar.

É favor retirar o machado que se encontra alojado no hemisfério direito do vosso cérebro, e a pega do cesto de piquenique do vosso rabo. Não entrem em pânico e dirijam-se ao posto de saúde mais próximo.

Atenciosamente,

João Pereira - Serviço Nacional de Protecção Civil.

terça-feira, 24 de julho de 2007

Comunicado

Há pouco não indiquei quem tinha sido o autor da fotografia do post anterior, pelo facto de desconhecer o seu nome. Entretanto foi-me facultada essa informação, sendo que, como é óbvio, lhe irei dar o devido crédito.

Obrigado por me ter concedido permissão para utilizar o seu trabalho de fotomontagem e parabéns pelo mesmo, Senhor Simão Pedro Fonseca Sabrosa.

Novas Tecnologias

É incrível como uma pessoa, com boas capacidades de manuseamento do Photoshop (os meus parabéns desde já ao autor), é capaz de fazer com que um jogador do Sport Lisboa e Benfica pareça menos efeminado do que aquilo que é na realidade.

domingo, 22 de julho de 2007

Senhor Presidente da Câmara (hic) das Caldas da Rainha

Acho que já era altura de construir mais um parque subterrâneo na cidade, mais especificamente na zona onde moro. É que a quantidade de arrumadores de carros na rua é tão grande, que uma pessoa já não sabe onde os meter.

sábado, 21 de julho de 2007

A falar é que a gente se desentende

Na terça-feira passada eu estava cheio de fome. Como é lógico, fui comer pão integral (coberto de sementes de sésamo tostadinhas) com omelete de queijo e fiambre. No fundo era uma tosta mista um nadinha mais energética. Não sei se era da fome, mas o facto é que aquilo me soube mesmo bem. Soube tão bem que no dia seguinte tive a necessidade de partilhar este evento gastronómico com outros seres humanos.

- Ontem comi uma omelete com ovo absolutamente fenomenal!

Foi um daqueles lapsos momentâneos que não conseguimos controlar. Eu sei que uma omelete, por definição, tem fortes possibilidades (mesmo fortezinhas) de ser feita de ovo. Não era preciso terem reagido como se eu tivesse dito a coisa mais hilariante/triste/deprimente/reveladora do estado da educação em Portugal que já se ouviu na vida. Anda por aí muita gente a falar e escrever tão mal que até dói (apesar de ter batido com a perna na esquina da mesinha de café, sendo eu um homenzarrão tão forte, não seria o impacto que me causaria aquela lagrimita, mas sim, provavelmente, a quantidade de remates à trave que são feitos com a língua portuguesa no dia-a-dia); não é uma porcaria destas que me torna automaticamente apto a travar amizade com um pelotão de fuzilamento.

1- Estava eu no meu automóvel a subir para cima a avenida quando um agente da Polícia de Segurança Pública ordenou que cessasse a marcha. Acreditas que ele demonstrou uma dose considerável de simpatia?

2- Ia eu no meu xasso a assubir a estrada a prego quando o macaco do bófia mandou que eu para-se. Mas tipo, tás a ver, o gajo foi um bacano. Cumps

3- Ia eU aOx PuWiNhUx nU mEu CiTrOeN sAxO qAnDuH aQuEwE pOwIcIa fOFiiitUh dA PXP diXe Pa Eu PaRarE LOLI =P =). xAbIaS qElE fOi 1 kiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiDuH? Loli =) =P

A opção 1 contém um pleonasmo e alguma formalidade. A opção 2 contém burrice. A opção 3 contém 25% de ar, 41% de já te matavas e 32% de merda na cabeça (e 2% de outras impurezas). Mas não, o subir para cima seria o primeiro a ser equiparado a pena capital.

...

O ser humano é capaz de passar atestados de estupidez a um seu semelhante com uma facilidade incrível. É capaz e adora.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Regras da sociedade

Nunca se bate a ninguém que use óculos; pode-se estar a bater no Clark Kent, e depois quem precisa de óculos somos nós.

Entretanto espero descobrir a razão pela qual não se bate numa mulher, nem mesmo com uma flor.

Digam o que disserem...

Recorrer aos serviços de uma prostituta é assumir uma pesada derrota social.

domingo, 15 de julho de 2007

Ler faz os olhos bonitos

Numa tentativa desesperada de fazer com que o meu blog atinja as 1000 visitas ainda este mês, decidi fazer alguma publicidade criativa no meu nick do messenger.

Onde antes se lia - "P." ;

passou a ler-se - "P. :: www.einutilresistir.blogspot.com :: Suspeito que quem não visita diariamente o meu blog tem hálito a pescada cozida."

Fiquei bastante surpreendido com a eficácia desta medida. As visitas diárias ao meu blog aumentaram cerca de 0,023%, tudo isto sem ferir as susceptibilidades de todos aqueles que apreciam um bom peixinho. É absolutamente fantástico. Provadas que estão as minhas capacidades de persuasão, sinto que até seria capaz de impingir bíblias a muçulmanos... ou um par de lentes progressivas Essilor a um cego... ou mini-saias da Salsa a sexagenárias obesas com varizes... ou sabonete a uma cigana.

Vamos ser honestos: ninguém escreve um blog para não ser lido por terceiros. Todas as pessoas que têm blogs e que dizem que o fazem só para si, afirmando que não se importam se ninguém o ler, são umas grandessíssimas aldrabonas. Se fosse essa a intenção, compravam um caderninho e escreviam lá os seus pensamentos secretos, ou utilizavam o word. Não iam publicar as suas parvoíces mais íntimas num lugar tão público como a internet, onde milhões de pessoas podem aceder.

Devo dizer que a população portuguesa lê muito pouco. Só um conjunto de pessoas cultas e altruístas, grupo no qual me incluo, pode tentar inverter esta tendência. É neste sentido que trabalho afincadamente, com vista a que o "É Inútil Resistir" se torne um dos principais catalizadores na formação de bons hálitos de leitura no país.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Raro momento de orgulho

Há uns meses atrás, uma amiga disse-me uma coisa de que jamais me esquecerei.

- Pedro, nunca conheci ninguém tão pessimista como tu!

Obrigado, S. L. :)

Vou ser sincero. No preciso momento em que ouvi esta frase, fui inundado por um estranho sentimento de auto-realização. Por instantes, senti que a minha vida fazia significado. De repente, NINGUÉM era "tão como" eu, acrescido de "nunca"! Finalmente eu era "o mais" qualquer coisa, e ainda por cima de longe! A ênfase dada a tamanha distinção foi tão grande que, caso eu não padecesse de canais lacrimais obstruídos, teria sido impossível não me emocionar. Esboçou-se apenas um sorriso involuntário mas sem dúvida triunfante.

Ser pessimista não é assim tão mau. Às vezes até é agradável, dado que uma pessoa acaba por se habituar. Ter baixas expectativas transforma-nos em eternos vencedores. Deixo-vos com uma citação absolutamente genial de George Will:

"The nice part about being a pessimist is that you are constantly being either proven right or pleasantly surprised."

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Saneamento básico - um assunto sério, para variar

O meu conceito de saneamento básico é igual ao da maior parte das organizações ambientais, embora com ligeiras alterações. Na minha opinião, os parâmetros mínimos de vida só estão assegurados com:

  1. água canalizada,
  2. electricidade,
  3. condições de higiene que assegurem o bem estar e a saúde das populações,
  4. habitação bem localizada e com muita luz,
  5. ligação wireless à internet de banda larga em todas as divisões,
  6. pelo menos quatro quartos,
  7. pelo menos 400 metros quadrados de área efectiva no edifício principal,
  8. garagem com espaço para pelo menos 3 carros,
  9. jacuzzi em metade das casas de banho (quatro, duas para cada piso),
  10. monitores plasma de 42 polegadas nas divisões menos importantes e um de 63 na sala comum (para os que já estiverem a pensar "já agora um projector no tecto pá", peço que sejam um pouco mais comedidos; não estou aqui para a brincar e a ostentação é um pecado),
  11. piscina com dimensões olímpicas,
  12. staff de apoio aos habitantes (vulgo serviçais),
  13. mesa de ping pong cujas dimensões da área circundante de jogo possibilitem uma correcta realização de encontros oficiais, caso o resto do mundo à volta expluda e aquela se revele a única mesa aprovada pela ITTF,
  14. frigorífico devidamente abastecido de caixas de Häagen-Dazs, de pelo menos 10 variedades diferentes.

Parece-me bastante razoável.

terça-feira, 10 de julho de 2007

Floribelo

Será que é possível trocar valores morais por valores materiais? Suspeito que uma alteração na proporção que possuo dos dois me vá dar jeito nos próximos meses...

segunda-feira, 9 de julho de 2007

Happy Birthday

Fazer anos é bom, visto ser a única altura do ano em que se dão efusivamente os parabéns, sem que uma pessoa se tenha tido de esforçar para fazer alguma coisa de jeito.

TDoO

2007? 2008?

domingo, 8 de julho de 2007

Antes de acabar com o vírus da Sida, talvez seja mais importante acabar com os mails em cadeia. Fogo que título de post mais comprido este!

Este foi o último e-mail em cadeia que recebi. Embora a pessoa que enviou isto não o seja, quem escreveu o texto seguinte é claramente um boi. Nós homens, às vezes, somos estúpidos que nem portas. Só pode ter sido um a escrever isto; só um anormal com pila tentaria escrever algo profundo com este tipo de apelo à camaradagem. No fundo é daquele tipo de cromos que nunca chora mas que abraça muito os seus "amigalhaços".
Cá vai:

Amigos Falsos vs. Amigos Verdadeiros
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Nunca te pedem comida
> >> >>Amigos Verdadeiros: São a razão para que nunca tenhas comida
Concordo; se eu quisesse fazer amigos começaria sempre por pedir um palmier ou uma taça de mousse de chocolate, de preferência toda a que houvesse no frigorífico. Por outro lado, sou uma pessoa vil, sem capacidade para estabelecer novas amizades, tendo em conta que nunca pedi (nem faço tenções de o fazer) comida à descarada na casa das outras pessoas.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Tratam os teus pais por Sr. E Sra.
> >> >>Amigos Verdadeiros: Tratam os teus pais por PAI e MÃE
Que bonito. Eu até percebo a ternura filosófica por trás desta ideia. Os nossos conceitos de boa educação é que diferem. Já tratei os pais de muitos amigos (ah espera, se calhar não os tenho) por Sr, Sra e afins. Se isso já é mau, imaginem se os tivesse tratado por Corno, ou Vaca. Menos mal.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Tiram-te da prisão e dizem que o que tu fizeste foi
> >> >>errado
> >> >>Amigos Verdadeiros: Sentam-se ao pé de ti e dizem: Merda…Tamos
> >> >>fodidos…mas esta merda é divertida!
Sim, esta é a mais óbvia. Que divertido, dizem eles num ângulo de 45º, enquanto procuram pelo sabonete no duche. Esta malta dos PALOPs é boa gente. Olha, também estão a achar a situação divertida! Amigos, pá! AMIGOS.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Nunca te vêem chorar
> >> >>Amigos Verdadeiros: Choram contigo
A esta altura a rapaziada lá do Fitness Gym já deve estar com uma lágrima ao canto do olho, enquanto fazem mais uma repetição com os halteres.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Levam coisas tuas emprestadas e devolvem-te-as
> >> >>Amigos Verdadeiros: Ficam com as tuas cenas durante tanto tempo que se
> >> >>esquecem que são tuas!
O cabrão do Marcos? Diz que já aí passa para me entregar o cd dos Ez Special. É mesmo sacana. "Ai sou tão educadinho e cínico que entrego sempre as coisas passado na data combinada. Que fofo." Entre amigos não há posses. O que é meu é nosso. Namoradas e tudo. Sim, porque as gajas vão e vêm (e vão e vêm), mas os amigos ficam sempre! E vêem-nos a chorar, quando ficamos deprimidos por querermos fazer 120 abdominais e só termos conseguido fazer 112, tudo à conta de nos termos esquecido do batido energético. É o que eu digo. Amizade a sério é esta fofura.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Sabem algumas coisas sobre ti
> >> >>Amigos Verdadeiros: Podiam escrever um livro sobre ti com frases que tu
> >> >>próprio dirias
Quando as outras ideias são tão más ao ponto de provocar vómitos, este tipo de coisas até escapa. O problema é o vocabulário do tipo de gente que gosta destas frases feitas ser apenas:

- Ganda par de tetas!

- Isto hoje tá mesmo a bombar!

- Tem só 140 cavalos, mas fica descansado que eu vou tratar disso, nem que seja a última coisa que faça!

- Penalty de tinto!

- Mais uma imperial aqui pró pessoal!

- Porra! É do best!

- SLB, SLB, SLBSLBSLB, GLO...
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Batem á porta e perguntam se podem entrar
> >> >>Amigos Verdadeiros: Entram logo e dizem: “Estou Em CASA!”
E isto não é nada. Amigos do peito arrombam a porta, roubam o Ipod e o leitor de DVD, e dão um enxerto de porrada nos nossos pais, se for preciso. Uma pessoa tem de estar completamente à vontade. Afinal somos ou não somos amigos?
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: São amigos por momentos
> >> >>Amigos Verdadeiros: São amigos para toda a vida
A Madre Teresa de Calcutá era uma falsa do caraças. Sempre por aí a passear e a fazer bem a quem lhe dá jeito. O pessoal lá da prisão de alta segurança é que sim. Um gajo tem problemas mas não chora, porque sabe que eles estão sempre lá para o que for preciso.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Tiram-te a bebida quando acham que já bebeste demais
> >> >>Amigos Verdadeiros: Olham para ti e dizem: Bebe essa merda toda! Sabes
> >>que
> >> >>nós nunca desperdiçamos bebidas!
Estou a ficar farto de escrever. Felizmente não preciso de puxar muito pela cabeça para ridicularizar o ANORMAL que escreveu esta palhaçada. Mas pronto, vou-me esforçar mais um bocadinho que isto está quase. Amigos começa por A; Álcool começa por A. Álcool e Amigos são conceitos que andam de mãos dadas. O que é que os amigos fazem sem ser ir para os copos e rir com as figuras decadentes uns dos outros? Ir praticar desporto? Ir ver um concerto? Beber umas jolas é que é, enquanto se coça os tomates. A-mi-za-de.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Fala mal de ti com aqueles que falam mal de ti também
> >> >>Amigos Verdadeiros: Manda os que falam mal de ti para o caralho!
Bravo! É uma forma um pouco boçal de lidar com as coisas, mas está minimamente perceptível.
> >> >>
> >> >>Amigos Falsos: Vão ignorar isto
> >> >>Amigos Verdadeiros: Vão mandar isto a todos os seus verdadeiros amigos
> >>e
> >> >>esperar que eles mandem de volta!
E até chegarem aos 90 anos e morrerem de causas naturais, desde que haja internet, vão andar constamentente a reenviar esta bonita mensagem uns aos outros, porque é isso que os amigos fazem!

Voltei à cor preta mas já sou eu de novo a escrever. Não percebo como é que ainda há pessoas que toleram mensagens em cadeia, seja sobre o que for. Desde "fotinhas" com animais fofinhos, anedotas, apresentações em powerpoint escritas em brasileirês, à pobre da Ana Cláudia que precisa de 1,5 litros de sange Orh+ desde a primavera de 2002. E as setinhas de forward? Afinal não éramos amigos? Custava muito apagar as setas antes de enviar? Ah, és meu amigo mas enviaste esta treta para despachar. Ao menos lembraste-te de mim por durante 0,2 segundos. Fiquei mesmo sensibilizado.

Uma coisa é certa. Dá-se demasiada importância ao valor da vida humana em certas ocasiões; é que o pessoal que escreve estas merdas já devia estar a servir de cimento há muito tempo.

sábado, 7 de julho de 2007

Já que insistes...

A - Queres ir prá cama comigo?

B - Contigo?? Só por cima do meu cadáver!!

A - Tá bem (há com cada fetiche...).

Sai-me sempre o jackpot...

Como bom preguiçoso que sou, é raro comprar o euromilhões noutro dia que não a sexta-feira. No entanto, acho que não mereço aturar a quantidade de pessoas que levam molhinhos de boletins não premiados (em 99% dos casos) nas mãos para serem conferidos na máquina.


Ó minhas gandas bestas! Não era melhor fazer esse serviço em casa? Uma pessoa quer-se despachar e ainda tem de apanhar aquela gentinha a ganhar um prémio de 8 euros em cada 22 boletins? Eu ainda percebia esse excesso de zelo no caso da pessoa ter perdido o sorteio e não ter outra forma de saber os números. Mesmo podendo um amigo ou familiar ter apontado o resultado, nunca se sabe. Eles provavelmente pedem-nos os nossos números primeiros e, mesmo em caso de prémio, devolvem o pedido com um "epá, só duas estrelas, é o mesmo azarinho todas as semanas", só pelo despeito de termos ganho mais do que eles.

Seja como for, o que não falta são meios fidedignos de saber o sorteio semanal. Eu, por exemplo, a seguir a este post vou conferir o meu boletim na internet. Mesmo se tivesse dez boletins, não ia demorar assim tanto tempo. Aliás, é até um processo bastante simples. É preciso aparecer uma data de porcas para tornarem as coisas complicadas (digo porcas porque ainda não vi um homem a fazer isto; estou preparado para pedir desculpa ao sexo feminino através da via do amor e do carinho, caso tenham conhecimento de homens assim).

A todos vocês que acompanham e lêem este blog com todo o entusiasmo e dedicação, deixo nestas linhas uma palavra de apreço. Foste espectacular. Continua assim e experimenta ler também livros. É bom. É que se eu deixar de escrever no blog, é sinal de que ganhei o primeiro prémio (ou dois segundos), justificando assim estas sentidas despedidas. Com tanto dinheiro para torrar, tenho a impressão de que arranjo assim de repente umas trinta coisa melhores para fazer do que actualizar este tasco. Também se pode dar o caso de, para disfarçar e me defender de abutres, continuar a actualizar frequentemente o blog.

Uma das duas vai acontecer de certeza.

terça-feira, 3 de julho de 2007

Alô, jóia.

Embora a moda dos grupos infanto-juvenis de musica ligeira portuguesa tivesse começado um pouco antes, foi mais ou menos por volta dos meus 11 anos de idade que deixei de mudar de canal sempre que se avizinhava uma das suas actuações, normalmente para dar prioridade a programas de desenhos animados.

Lembro-me de que, para além dos Ministars, Queijinhos Frescos e Onda Choc, havia mais um ou outro grupo deste género. Embora a música dos Quejinhos Frescos fosse a de maior qualidade musical (e salvo erro, os únicos cujos instrumentais também eram originais e não versões estranjeiras), não era bem esse o parâmetro que mais me cativava. Eu queria era ver as gajas.

Ah, as gajas! Ainda bem que aqueles grupos eram formados por 342 raparigas e 2 rapazes, mais coisa menos coisa. Assim sempre havia muito por onde escolher. Na altura, as cavalonas estavam todas nos Onda Choc. Que inveja que eu sentia dos 0,239 rapazes que compunham o grupo. Embora fossem extremamente totós (embora eu fosse bem mais), tinham mais hipóteses do que eu para se afiambrarem a alguma delas. Por causa dos ensaios e isso.

Eu pensava para mim: dava beijinhos naquela, naquela e naquela. Bem lá no fundo, até tinha dado na mais feia de todas, caso tivesse tido oportunidade. Além disso, naquela altura, a mais feia dos Onda Choc conseguia ser mais boazona que a segunda ou terceira mais gira dos Ministars, por isso de certeza que não me ia fazer mal. É que as dos Onda Choc, ainda que algumas tivessem cara de borregas, tinham sempre curvas, enquanto que as dos Ministars eram todas umas autênticas tábuas de passar a ferro (e pirosas que nem tunning).

Resumindo: tinha boas recordações daquele tempo, e pensava que já ninguém me podia roubar aquela sensação quentinha.

Entretanto descubro isto:



Por favor... Para que é que foram reanimar os Onda Choc, se era para sair uma homozada destas? Agora não consigo deixar de pensar que andei a ser enganado durante a infância.

Só cá faltava mais um trauma...

O que deseja pala jantale?

Não percebo porque é que certas pessoas têm o hábito de pedir um crepe nos restaurantes chineses. O crepe é, sem sombra de dúvida, o alimento mais inútil de todas as ementas mundiais. É de longe o menos nutritivo, visto que é praticamente imune à acção do sistema digestivo.

Comendo crepe como entrada, formar-se-á sempre crap à saida.

domingo, 1 de julho de 2007

A Fome

Sinceramente não estou a ver onde é que está o problema. Tanto alarido por causa de uma coisa que, no fundo, até pode ser boa?

Decidi fazer a experiência. Olha, hoje vou passar fome - pensei eu. Para chegar a conclusões sobre a fome no Mundo, nada melhor que testar a fome no Pedro. Até nem tinha lanchado mal nem nada, por isso calhava bem. Por volta das oito, hora de jantar, em vez de comer, decidi ir jogar ténis de mesa durante uma hora e um quarto. Ainda por cima ia estrear a minha nova raquete; estava garantida a coragem suficiente para levar esta loucura avante.

Não foi dos treinos mais longos e intensos, mas mesmo assim deu para transpirar um bocado. Quando cheguei a casa, acham que comi? É óbvio que não! Foi só ligar o computador para ler os últimos mails das admiradoras e banhoca. Tava cá com uma fominha... Mesmo assim lá arranjei forças para lavar atrás das orelhas.

Entretanto eram onze da noite. Eu sabia que tinha sobrado uma costoleta do almoço, alimento que aguardava estoicamente no frigorífico, anseando pelas minhas alarves dentadas. Ainda por cima era uma costoleta do cachaço, a minha parte preferida do porco. Por ventura, mesmo perante este cenário tentador, eu cedi? Claro que não! Toca a ir ao messenger ver se havia alguém a precisar de conselhos sentimentais.

Ouviram-se as doze badaladas. Um novo dia tinha chegado. Era o príncipe a correr atrás da Cinderela e eu a correr atrás do Tupperware que continha a costoleta. Já estava a ficar com um nevoeiro lixado. Não comia desde as 17h35m. Há limites para tudo, porra. E pronto, neste momento cá estou eu a escrever este post, com um tabuleiro em cima das pernas. Para além da chicha, vejo aqui arroz e batata frita. Não é nenhum manjar de rei, mas também não é nada mau.

Se eu tivesse jantado às oito, como é habitual, provavelmente não teria dado tanto valor à refeição e, consequentemente, a morte daquele porquito teria sido desprovida de tanto significado. É certo que já andava a trepar um bocado pelas paredes; seis horas e meia sem comer é dose (meia-dose era se fossem três horas e quarto, não deixando justificação para eu ter enchido tanto o prato). Neste momento, nem imaginam o prazer que me está a dar comer. E porquê? Porque estava cheio de fomeca. Ainda são capazes de dizer que a fome é uma coisa má?

Provada que está a minha teoria (julgo que não terão dúvidas, mas caso necessitem, estarei cá para as esclarecer), deixo-vos uma questão. Tendo em conta que o dia apenas tem 24 horas, e não havendo hipótese de abordar ao mesmo tempo todas as actuais fontes de polémica, não acham que devíamos definir prioridades? É que a fome é importante, há que ser coerente. Experimentem almoçar pouco e não lanchar, e vão ver o quão bem sabe aquele pão com fiambre de prazo de validade expirado. Simplesmente há outros assuntos cuja discussão está ausente de qualquer telejornal.

Exemplo: eu nunca vi em nenhum telejornal alguém falar sobre chulé. Envia-se apoio humanitário, voam sacas de arroz pelo ar atiradas de aviões, promovem-se campanhas para troca de seringas, etc., mas a luta contra o excesso de mau odor no pé já não se vê em lado nenhum. Será que é por a palavra ser divertida?

Experimentem repetir vezes e vezes sem conta, até perder o seu significado:

- Chulé.

- Chulé.

- Chulé.

- Chulé.

- Chulé.

Vá, agora todos:

- CHULÉ! CHULÉ! CHULÉ! (ouvem-se risos histéricos em todos os lares do país com acesso à internet)


Agora até já nem parece que se está a falar de uma coisa que cheira para lá de mal. Se experimentarem o mesmo processo com infecção urinária já não é assim tão divertido, pois não?