domingo, 21 de setembro de 2008

Não me venham dizer que às vezes é preciso fazer sacrifícios...

... que mando-vos já a todos pró caralho, mas mesmo assim sem pinga de exagero. Este trabalho é uma merda e, felizmente, no final de Outubro conto já estar em metido em coisas melhores, nem que seja nos semáforos a lavar limpa-parabrisas.

Ontem, por exemplo, estava com uma das minhas colegas a recolher amostras de um dos depósitos. O Sr. Atrasado Mental (não se chama assim, mas devia), decide começar a preparar as soluções antisépticas mesmo por baixo do sítio em que estávamos. Quando estava a ler a densidade e temperatura do conteúdo de uma das cubas, começo a tossir ligeiramente. Pensei que não devia ser nada, porque de manhã eu já não estava grande coisa. De repente começamos a tossir os dois, até não conseguirmos respirar nada sem ser amoníaco (aquilo arde quando entra nos pulmões, é assim uma coisa a atirar pró chatinho). Apesar da estrutura ser alta e cheia de obstáculos, o instinto só nos mandava correr dali para fora. Quem estava cá em baixo tinha na cremalheira aquele ar de gozo na cara do género "ai os engenheirozitos não aguentam cheirinho que não seja o de perfume e nem pode ser daquele que se vende na feira de Santana", mas assim que aquilo se espalhou até a um dos tegões, começou tudo a afastar-se. Só o senhor Resistente A Tudo é que ficou lá em cima. Sempre são 30 anos daquilo. Uma coisa é certa: nunca verão uma pessoa bonita e bem cuidada a fazer a vida do Sr. Resistente A Tudo.

Quando era mais novo e, ao cumprimentar alguém, esse alguém me estendia o antebraço e não a mão, por a ter demasiado suja, eu pensava para mim "Someone has a really crappy job...", embora em português (mas assim o efeito é mais descritivo). Anteontem eu tornei-me numa dessas pessoas. Ali uma pessoa anda sempre cagada, e não é do rabo. Um pequeno à parte: há bocado estive a cortar as unhas mesmo rentinhas, porque tinhas as unhas pretas por baixo, como as mãos dos trabalhadores do campo com ar mais pobre, à conta do mosto dos tintos. Mesmo assim, é bem melhor sujar-me com esse mosto do que com aquele que vai para as torres. Essas são fermentações muito fodidas e vinhos muito merdosos: parece diarreia.

Eu nunca fui muito de coçar os tomates. Não fui educado nesse sentido e nem sequer tenho as unhas dos dedos mindinhos bem compridas (e agora muito menos, por causa do supracitado mosto dos tintos). Percebo agora, no entanto, a importância de ter tempo para os coçar. Se já quem não tem testículos gosta de ter um tempinho livre para descansar, imaginem-me a mim, que nasci com dois. Ainda por cima passo o tempo quase todo de pé, de um lado para o outro. Habilito-me a ganhar varizes nas pernas e micoses na salada.

Esta merda é assim de manhã à noite. Toda a gente me diz para eu olhar pelo lado positivo, e acreditem que eu bem faço esse esforço. "Há sempre alguém pior". Pois há, foda-se. Pois claro que há. Há gente com problemas motores, há gente com reformas miseráveis, há gente que dorme na rua, há gente que compra roupa na Bershka. Mas porra, também há gente muito melhor e esta não é a vida que idealizei para mim, seja coisa temporária ou não. Deixem-me lá queixar em paz durante um bocado. A única coisa em que consigo pensar no final do dia é que não aprendi nada que contribuisse para a minha felicidade, não estou mais rico (estou apenas ligeiramente menos pobre), não tenho energia para mais nada, sem ser comer gelado e ir prá cama, e amanhã repete-se tudo de novo. Já nem sequer ando carente! Uma gaja que queira festa, neste momento, com o cansaço que tenho, vai ter de me comer por cima e fazer ela o trabalho todo. Comprometo-me apenas a tirar os boxers e pouco mais.

Mas vejamos pelo lado positivo: amanhã posso sempre espetar-me na A8 de manhã, antes de chegar ao trabalho. Se for de noite, depois de voltar de lá sujo e cansado, é que já vou achar que foi demasiado irónico por parte do Deus, do Jesus, e do Espírito Santo.

PS: Sempre que uma pessoa se baixa, especialmente se for gente rude do campo, mostra-se mais um rego ao mundo. Eu adoro cús, mas ando a ver demasiadas bordas de forma não solicitada (e do sexo errado) para o meu gosto. Esquisitices.

4 comentários:

Bela Sonhadora disse...

oh fonfonzito ta quase looooool poensa que ao menos assim tens historias engraçaditas pa vir pa cá contar ahahahahahahah

NI disse...

Se pedes, eu não digo.

Mas tens a certeza que não queres que te digam que é preciso fazer....ok, não digo.


:-)

com pintas qb disse...

hehe,.... uma vez que parece INÚTIL RESISTIR, pra já, a tão divertido trabalhinho, melhor será mesmo continuar a fazer relatos periódicos do mesmo que o people por aqui agradece ,....hehe

Melão Metralha disse...

Como diria um antigo colega meu...

"A vida é dura pra quem é mole."...

E nada como ser um daqueles engºs que até sabem o que é meter a mão na massa...