quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Nem todas as mulheres são umas cabras...

... nem todos os homens são uns porcos. Há sempre algumas excepções... acho eu.

Fico é sem saber se nascemos com essa tendência ou se são as circunstâncias da vida (e especialmente das relações amorosas) que nos tornam assim. Por um lado, a questão surge um pouco como a do ovo e da galinha. Alguém teve de dar o primeiro passo. Algum gajo foi porco primeiro, ou alguma gaja foi cabra primeiro. No entanto, não tenho dúvidas de que qualquer (generalizando) doce menina se transforma numa cabra montesa após uma experiência com um colossal porco. Pode demorar mais com umas do que com outras, mas a coisa vai lá sempre dar, mais porco, menos porco (a menos que cedo se depare com um sapo banana e faça de conta que tem ali um principe). Não tenho dúvidas de que a desilusão fará com que a ex-doce menina acabe por agir em várias ocasiões como uma cabra de primeira para o primeiro doce desgraçado (doce não, que é adjectivo mariconço) que encontrar à frente,deixando-o de rastos. Quando ele deixar de ser um sapo banana, irá adoptar laivos de suíno, nem que seja inconscientemente. E assim sucessivamente.

Independentemente de sermos homens ou mulheres, temos todos um lado vingativo. Todos os dias saem do armário porcas e cabrões.

Eu acho que já sou porco. E vocês? Oinc? Meeeé?


17 comentários:

Abobrinha disse...

Meu menino

Esta é uma tecla em que eu insisto: a próxima pessoa a surgir na minha vida não tem culpa do que me aconteceu no passado. O magoarem-me tem como efeito eu ter mais cuidado com não me magoar e não magoar mais ninguém... precisamente porque sei quanto dói. Afinal, temos que tentar ir para melhor, não para pior. Ou não?

O ter sido magoado é uma péssima desculpa seja para o que for. Já disse a um menino "não fui eu que te magoei"! Pensa nisso.

Mafalda disse...

Penso que é sempre bater na mesma tecla, o que significa que há pouca evolução, bastante limitativo mesmo. Mas, é uma opção individual, claro.

Pedro M. disse...

Minha menina

Esta é uma tecla em que eu insisto: não se pode levar tão a sério um blog que é, essencialmente, um blog de disparates. Olhando para trás, sou uma pessoa extremamente bem resolvida, e tomarem muitas mulheres terem a sorte de me apanhar pela frente. Este post não serve para choramingar, nem para virem dizer coitadinho de mim. Tenho mais do que fazer do que andar a soluçar por causa destas questões. Tudo o que envolva o meu sucesso pessoal, neste momento, está em primeiríssimo lugar, e tudo o resto é acessório.

O post aponta apenas uma tendência que, se formos generalizar (e generalizar é perigoso, mas o blog é meu) acontece DEMASIADO, o suficiente para escrever o post acerca disso. Quer queiram quer não, existe muito ressabianço, consciente ou inconsciente, relativamente a estes assuntos. Conscientemente ou inconscientemente, um homem ou uma mulher ressabiados vão ter comportamentos defensivos que são reflexo de experiências passadas. Devia ser assim? Ah pois claro que não. Isto devia ser tudo cor de rosa, deviamos todos ter a capacidade de aprender com o passado, e respirar várias vezes antes de ter certas atitudes no futuro. A isto se chama evoluir como pessoas (não é, Mafalda?). No entanto, acham que a maior parte das pessoas é assim? Eu cá acho que não e, para já, não vejo motivos concretos para mudar de opinião.

E é isto. Vou para ali para um canto coçar-me, que não gosto nada de falar a sério e isto já foi dose suficiente para um dia.

Obrigado às duas por lerem e não encarem isto como um levantar agressivo de defesas**

silvia disse...

Eu concordo apesar de não achar correcto, porque como o que ja foi dito, quem vem a seguir não tem culpa do que nos aconteceu anteriormente, mas se calhar é mais uma estratégia de pseudo-defesa do que outra coisa...

Vítor Costa disse...

Quem vem a seguir, quer se queira quer não, acaba sempre por levar de tabela...
Somos assim, aceitemos ou não... mas haja compreensão, uns bons raspanetes, e alguma dose de amor/amizade e esses ditos rancores suínos ou delíros campestres acabam por em nada resultar!!!
Sejam felizes...

An Ambush of Ghosts disse...

Hummm....

Eu cá acho que são todos/as porcos e cabras, respectivamente e á vez.
Passo a explicar.
Há pessoas q são verdadeiras cabras por natureza, pq aprenderam por osmose em casa, certos assuntos resolvem-nos (ou não) daquela formazinha q toda a gente sabe que é uma filha putice.
São assim e ponto.
Há depois os swetie fofos, os q são boas pessoas, q apanham umas chapadas da vida e volta e meia da-lhes para a filha putice, quer por vingança, medo, ou pura idiotice momentanea.
Os swetie fofos têm tendencia para reagir com filhas putices, regra geral, assim q vislumbram algo q os desiludiu na nova paixão. Atacar é sempre uma boa defesa. Ficaram por cima, naquela vez. E por aquela vez sente-se "normais".
A filha putice tem portanto duas origens: Puro mau caracter, ou idiotice momentanea, "epah... tou mm a ver me vais foder, deixa-me cá foder-te primeiro".
E depois há os cegos.
Dão umas chapadas sem perceber lá mto bem como é q aquilo aconteceu, reflectem na filha putice, arrependem-se, pedem desculpa e passam a bola.
Podem com isso despertar a cabra q há do outro lado do campo, claro, mas dormem tranquilos, fizeram o q lhes compete e aprendem com os erros.

ManUel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ManUel disse...

bem escrito e bem respondido Pedro.

eu só tenho uma coisa a dizer: oiiiiiinc

Abobrinha disse...

Pedro

Queres blogue mais parvo e inútil que o meu? Olha que é difícil! Se quiseres discutir coisas parvas e sem sentido, és benvindo! Mas realmente eu de vez em quando falo a sério e muito. Calhou este post vir na sequência de muita coisa que tenho falado no meu tasco.

Mas sejamos superficiais: olha, ganhei um apreço especial pelos porcos depois do Hannibal. Mas o filme prova que não tens razão: então não achas romântico o Hannibal levar a Clarice ao colo enquanto os outros são comidos? EU acho que isso foi uma metáfora às relações carnais versus relações platónicas.

Quanto às cabras não sei; eu sou toura, por isso é um bocado de cornos a mais. E eu não aprecio cornos!

(Está bom assim?)

Rita disse...

Acho que faltou ao argumento o facto de as mulheres serem cabras umas com as outras. Até mais do que com os homens, mesmo os que são porcos (e nem todos são porcos, ainda se encontram uns que ainda não passaram do estado de "bácorozinho"). As mulheres são capazes das piores coisas umas contra as outras. Coisas que nem passam pela cabeça dos homens... E que nem interessa muito comentar. Queria apenas acrescentar isso: as mulheres são cabras umas com as outras e os homens por norma não são porcos uns com os outros (ou pelo menos não se importam muito com as "porcalhices" uns dos outros...!). Por isso, há por aí muitas mais "Mééééés" do que "Oincs"...!!!

rose disse...

Se já foste um doce desgraçado usado como um sapo banana nas mão de uma cabra, decididamente és um porco... mas eu acho que no fundo ainda queres ser príncipe!

Gosto do que escreves! és uma espécie de versão para gajo de "sexo e a cidade", em que são todos uns cabrões mas que sempre vai dando pra rir!
Bananas à parte, se nos magoam, ficamos mais frios, distantes, fechados... e alguém vai ter de pagar!! e não é preciso ser-se uma cabra/cabrão para magoar quem nos ama... basta um beijo que não ficou bem dado!!

bjs

Eu mesma! disse...

Olá Pedro
bem... estou-me a estrear no teu blog totalmente inutil... como tu dizes e confesso que... não concordo com o que estás a dizer...

passo a explicar e vou tentar não dar uma de moralista porque tens razão... um blog não tem necessariamente que ser algo que faça sentido ou deixe de fazer mas sim algo para falares o que te apetece....

sim há muitas mulheres cabras e sacanas... muitas mesmo mas... não concordo quando dizes que alguém é porco porque apanhou uma mulher cabra ou uma mulher é cabra porque apanhou porcos...

eu pessoalmente já apanhei muitos porcos, sacanas e (diria outros atributos piores) mas isso não me fez ficar cabra.... apenas mais desconfiada e possivelmente bem mais inteligente...

a minha opinião é... uns nascem porcos outras nascem cabras... não é a vida que os faz ficar assim... é mesmo a porra da personalidade que o é!

dito isto... possilvelmente eu serei uma tótó por não ser cabra mas... prefiro ser inteligente a cabra!

de qualquer forma... gostei do teu blog!

Eu mesma! disse...

mas uma coisa tens razão... todas as mulheres são cabras ... mas é umas com as outras...

isso não tenhas a menor duvida!
O pior inimigo de uma mulher... é uma outra mulher!

Jota p\ extenso disse...

Serei provavelmente um grande cabrão, e dos saídos do armário. Ninguém repara é nisso! - disse o Homem Invisível.

Inês disse...

Todas nos temos um lado de cabras
e vocês de porcos..
aliás, se não fosse isso qual era a piada?
nos entre as mulheres dizemos sempre que só gostamos dos cabroes, dão mais pica, atraem mais..por isso don´t worry =)

100 Sentidos disse...

Eu já passei a fase de ser cabra.
E a de ser menina doce também.
Agora sou Eu com tudo o de bom e mau que as experiências deixaram em mim. Ou não...

Procura-se Porco! disse...

Ainda não virei cabra, isto pq só tenho porcos de homens casados atrás de mim. E cabra solteira com porco casado não combina - o cabrão do porco será sempre mais porco! E eu, cabra ou não,...gosto do porco só para mim!