quinta-feira, 21 de maio de 2009

Estava a ficar aflito.

No domingo passado, horas antes de me espetar contra a bela calçada portuguesa na minha bicicleta, estava na sala a jogar Street Fighter 4 na PS3. Para quem não conhece (99% da população feminina e uns 10% da masculina que, quando eram putos, das duas uma, ou andavam a brincar com kits de química para principiantes, ou já davam beijinhos na boca às rameiras do ciclo), é a última versão de um dos jogos de porrada mais conhecidos dos anos 90.

Na versão que eu jogava dantes, não era difícil pegar no comando e começar a jogar, mas para se chegar a um bom nível de eficácia na batatada era preciso uma coordenação incrível nos polegares. Este consegue ser ainda mais difícil, ao ponto de ser irritante. Se jogo contra a consola, chega a uma altura em que parece que a bonecada adivinha os meus movimentos todos; se jogo online contra outras pessoas, aparecem-me quase sempre pela frente gajos que, claramente, não fazem mais nada senão treinar aquela porcaria. Levo cada sova que faz favor.

Embora eu jogue para me divertir, se começo a apanhar muito na tromba, tenho tendência para ficar irritado. Apesar de estar na sala, e não estar sozinho (check it out, madrecita in the house, yoo), depressa me saiu um Poooooorraaaaaa já pró crescido. Depois lá ganhei uma luta contra um gajo qualquer e a coisa acalmou. Sol de pouca dura. Mais uma derrota e sai-me um "Merda, pá!"

- Mas que linguagem é essa?? Isso diz-se?

- Quando tem de ser, é as vezes que for preciso. Não é agora com esta idade que me vão ensinar a falar como deve ser (e eu a pensar que não ter sido um "foda-se, oxalá os teus polegares ganhem gangrena, ó meu filha da puta" foi uma sorte, dado o estado de frustração).

- Não sabia que dizias dessas coisas!

- Já digo isso desde a primária. Além disso também dizes "valha-me Cristo" quando te irritas, e não é por isso que eu vou a correr dizer que religião é tudo uma data de tretas e que temos de aprender a pensar pela nossa própria cabeça.

- Apre! Deus me dê forças!


Mas afinal qual é o problema? Dizer asneiras é como cagar. Quando temos vontade tem mesmo de ser. Sempre é melhor do que reprimir a raiva e vir a explodir mais tarde quando já não se aguenta. Acabamos por nos tornar naquele tipo de pessoas que já nem diz nada. Começam a partir coisas e só depois de passada a fúria é que olham para a merda que fizeram.


PS: A minha mãe também diz merda, lá muito de vez em quando, sempre que percebe que nem Pai, nem Filho, nem Espírito Santo andam ali para aparar golpes.

12 comentários:

RJ disse...

Essa dos polegares ganharem gangrena é muito mau hum????

A minha mãe tb fica muito espantada qd me ouve dizer palavrões. Acho que aos olhos dela somos sempre crianças.

Eu Mesma! disse...

Eu pessoalmente acho que em portugal se usa e abusa dos palavrões...

mas sim concordo.. existem momentos que apenas os palavrões resultam!

Pipoca disse...

"(99% da população feminina e uns 10% da masculina que, quando eram putos, das duas uma, ou andavam a brincar com kits de química para principiantes, ou já davam beijinhos na boca às rameiras do ciclo)"

Só por este parágrafo recuso comentar!

Abobrinha disse...

Não só dizer asneiras é como cagar como não dizer asneiras pode ter o mesmo efeito que não cagar: fica a doer a barriga e quando finalmente se "faz pela vida"... fica a cheirar mal de carago!

... e anda uma mãe a criar um filho para isto...

VCosta disse...

Eu cá quando desalinho... é uns poucos seguidos...
É tipo:
"Puta que pariu lá este merda...
Foda-se... já estou a passar!
Vai gozar com o caralho!!!"
E pronto... já estou melhor!!!
Abraço... continuas no topo com os teus textos!!!

Suzy disse...

Eu n consigo dizer palavrões ao pé dos meus pais. Sei lá pq... A minha Mãe, Mulher do norte, é com cada churrilho q até eu, q em 10 palavras, 1 é asneirolazita (coisa pouca, poucochinha), fico de boca aberta!!
Qt ao jogo, faço parte da percentagem referida. N sei o q é, nunca vi nem ouvi falar. É a parte infantil q tds os homens mantêm. Beijoca.

m_I_a disse...

ok não ter ouvido falar de street fighter??? pensava que essas pessoas não existiam xD. E atenção, eu detesto jogos e nunca joguei mas isso não me impede de conhecer, isso e wow e magic e todas as geekalhices com que os meus amigos se saem. mas das poucas vezes que jogo saem-me bastantes asneiras (e geralmente não sou uma pessoa muito asneirenta, só as uso a conduzir ou a falar mal de professores ou serviços públicos). alguém devia fazer um estudo sobre isto...

Neni disse...

Eu com 10 anos jogava street fighter. Girlz on the house:)

busycat disse...

Só há uma coisa nisto tudo que me deixa boquiaberta. Como é que a tua mãe não sabia que tu dizias asneiras????

beijo
fica bem
bom fds

Pipoca disse...

Mete a tua ma~e uma tarde ao pé da minha e vais ver que deixa de apregoar por Deus e desata a dizer palavrões complicados como "cum quarenta caralhos; rais ta foda; rais te abrase" e afins. "rais" é raios, não me perguntes porquê.
Beijos
Pipoca, dos Saltos Altos

Pipoca disse...

Mete a tua ma~e uma tarde ao pé da minha e vais ver que deixa de apregoar por Deus e desata a dizer palavrões complicados como "cum quarenta caralhos; rais ta foda; rais te abrase" e afins. "rais" é raios, não me perguntes porquê.
Beijos
Pipoca, dos Saltos Altos

S* disse...

Ando um bocado reles. Ando a dizer muitos palavroes. :S

Mas eu gosto é de dizer "pelo amor da santa"... é pah, acho fixe!