quarta-feira, 29 de abril de 2009

Doido.

Daqui a 4 horas tenho de acordar para ir para Mafra dar formação.

Apesar da sessão de SHST já estar preparada, estou a acabar de escolher 17 músicas para pôr num CD que já está marcado a caneta de acetato com "Definitive Makeout Music Volume 1". Nunca se sabe.

Assim que me puser na horizontal, vou perder o sono que tenho e vou ter de ver mais um episódio da série "How I met your mother", que espero ser bem meloso.

Na sexta vou gravar mais música para fazer meninos e a sessão (desta vez, de estúdio) ainda não está pronta. Mas lá está, é música para fazer meninos. A taxa de natalidade do país preocupa-me. Quero contribuir da forma que puder.

A sessão vai ficar pronta a tempo. Eu é que não sei se estou pronto para o que quer que seja que deva estar.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Se todas as mulheres bonitas...

... fossem marcadamente antipáticas, as coisas seriam muito mais fáceis.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Há quem diga que sou esquisito.

Imaginem uma mulher com 36 anos, tremendamente bem conservada. Boa que sa farta. Quem não se sentir atraído por mulheres pode imaginar um homem, não há qualquer problema me estabelecer o paralelismo.

Aos 18 anos teve uma filha. A filha, por sua vez, engravidou igualmente aos 18 anos. Portanto, com 36 anos, ainda bastante nova, a Raquel (chamemos-lhe assim) é uma avó babada.

Um dia, por qualquer motivo, conheço a Raquel e percebo que ela me está a querer. Está mesmo mesmo em brasa. Não esqueçamos que a Raquel, se fosse comida, era uma generosa fatia de cheesecake.

Eu não era capaz de comer a avó de ninguém, nem mesmo, ao contrário do normal, ser "de boa" a seguir ao "podre". Se não estivesse na posse de todos os dados, uma voltinha à montanha russa não me ia deixar enjoado. Caso contrário, e embora já tenha percebido que a decisão não é consensual (isto merece uma sondagem aqui no blog), agradecia mas não punha lá nem a cabecita. É avó, porra! Eu lá avio avozinhas?

segunda-feira, 13 de abril de 2009

O prazo para as candidaturas ainda não expirou...

... mas importa já fazer alguns esclarecimentos. As respostas ao post foram muitas e eu não gosto de escrever demasiado na caixinha de comentários, por isso responderei aqui, ao que achar pertinente.

A todos os que me desejaram boa sorte (Abobrinha, RJ, busycat vezes 2, soninha, Nat, Rita, Carlos Rangel e Anónimos/as vários/as), fica desde já o meu agradecimento. Acho, no entanto, que os votos de felicidades deviam ser direccionados às candidatas, já que ficam aqui com uma coisita maneirinha, pelo menos por uns tempos. Vejo por aí tanta gaja atracada a cada anormal, que fico pasmo.

Passo agora a responder às mensagens mais detalhadas:

Abobrinha: eu nunca tive sorte com Marias, e não é por isso que, ao ver uma Maria da Conceição com um grande par de chuchas, não vou tentar a minha sorte. Os nomes não determinam o carácter das pessoas, por isso aconselho-te a não excluires uma pessoa só porque se chama Maria (coisa que, no teu caso, era capaz de ser sexy levado à letra). Se deu mau resultado é porque, infelizmente, a maior parte das relações não foram feitas para resultar. Ou se tem muita sorte, ou se se conforma com o que se tem, ou então há que dar muito à bomba para encontrar o pipo certo.

de Marte: Juro que não conheço a tua mãe. Tu não me digas que sabes jogar bem ténis, e eu passo logo a querer conhecê-la. A tua candidatura já devia estar no meu mail há que tempos. Preguiçosa.

Eu mesma!: Daí eu ter colocado um pormenor na idade. Eu abro excepções (tanto para cima como para baixo) nesse pormenor, se o resto bater mais ou menos certo. Se eu conhecer uma pessoa, não saber que idade tem e ficar entusiasmado, não vou desistir depois só porque tem 29 ou 21. Mas sim, assumo perfeitamente que as prefiro mais novas, se estiver a basear-me apenas em características mais superficiais. A resposta à Sofia, mais abaixo, explica (apenas em parte) a questão da idade.

Maria Eva: Eu nem gosto muito de cerveja, mas tremoços é romântico. Não me venham dizer que não é. E porque é que havias de ser excluída só por te teres rido? Imagina nós os dois, à beira mar, eu a tirar a casca de 7 pevides e a dar-te as 7 ao mesmo tempo à boca, só porque uma não enche a cova de um dente e não quero que tenhas todo o trabalho a descascá-las. Hã? Não é lindo?

Anónimo(A, espero) do sexo: jantares fora estão incluídos se não forem demasiado frequentes e se não for sempre eu a pagar. Era só o que faltava eu ser daqueles que perpetuam o estereótipo do homem que paga tudo só para ficar com imagem de querido. Assim como gosto de estar contigo, espero que gostes de estar comigo. O dinheiro interfere com isso tudo. Noites inteiras de sexo estão incluídas também se não forem demasiado frequentes. É que isso da a entender que é todos os dias. Assim farta, para além de que eu também preciso da pila para fazer chichi. Eu prefiro que as coisas sejam naturais e inesperadas. Ora horas na cama, ora 5 minutos no cubículo de provas da maximo dutti, não nos vá alguém apanhar, ora meia hora na praia com o meu rabo a apanhar solinho (adoro) e tu enroscada em mim e na toalha... Há que variar. Prendinhas? Isso já soa mais a namorada do que a amiga colorida. Prendinha de vez em quando e sem qualquer tipo de obrigações. Fins de semana fora? No way Jose. Isso é definitivamente de namorada. Vamos com calma que o serviço é para ser bem feito, não gosto de coisas às três pancadas.

Sandra: diz o roto ao nú. Tú também tens cá um feitiozinho que vai lá vai. Além disso, na maior parte dos casos, eu até sou bem fácil de se lidar (e de levar para a cama), a juntar ao facto de ter uma paciência considerável para as vossas merdas (embora tenha menos, desde que abri os olhos).

Sofia: Tenho de admitir que me sinto intimidado com mulheres mais velhas. Se não têm, deviam ter uma bagagem que eu ainda não tenho, porque sou e serei sempre um miúdo. Além disso, nas nossas idades, basta ser um bocadinho mais velha para se estar numa posição mais estável na vida, coisa que também me faz comichão (nisso sou machista), tendo em conta que estabilidade, não tenho nenhuma ainda. Gosto de estar numa relação com uma pessoa que esteja mais ou menos ao mesmo nível, mas não muito à frente, senão parece que ela é minha mãe porque já viveu mais e é mais segura e eu que esteja caladinho porque não sei como se tiram manchas amareladas de cortinados. E que horror que nunca me sei comportar e que tou sempre a fazer e a dizer disparates, porque tou. Agora, ter um casito com uma trintona jeitosa, isso já não dizia que não. Ia era levar a coisa demasiado na descontra, para contrariar os meus complexos/preconceitos e porque, seja como for, não seria coisa para durar muito tempo. Mais vale estar à vontade e aproveitar.

Soninha: Gajo porreiro e com talento. Educado quando é preciso. Labrego quando é preciso, mas sem ter nascido com o gene matarruano. Faço piscas nas rotundas se isso for importante para ti. Resumindo, uma boa companhia durante os primeiros três meses.

AnónimA 2: 25 é uma idade agradável. Engenharia Informática agrada-me. Quando era puto dizia sempre que queria tirar isso, só porque gostava de jogar e porque sabia fazer umas rotinas simples como um raio em basic. Hoje em dia, se calhar, afinal era capaz de não ter sido uma decisão assim tão má. És capaz de ser daquelas que fala comigo sobre o seu emprego e eu, mais do que fazer de conta que oiço (sou óptimo a fingir isso), acabo mesmo por ter algum interesse. Mamas 38C... Eu gosto de mamas, mas será que isso não é um bocado demais para mim? Gosto de conseguir agarrá-las com a mão, e não apenas segurá-las. Seja como for, uma pessoa não pode já estar a dizer que não. Isto agora só vendo (e mexendo). Mais inteligente do que eu? Sim, é possível. Não é provável mas é possível. E, mais uma vez, uma rapariga muito mais espertalhaça do que eu é coisa para me deixar intimidado (acho eu, também só experimentando, vendo e mexendo), daí ser um dos requisitos. Nem burra nem croma. Parece-me, no entanto, uma boa candidatura. Venha de lá esse mail (se é que não veio já).

R: Por acaso este concurso público não é como daqueles de emprego em que se controi um perfil só para não dar espaço a que outras pessoas tenham hipóteses. Tentei até não ser demasiado esquisito (notou-se algum bocadinho?).

Andreia: Preferia que a entrevista não contemplasse sexo. Ainda sou adepto dos primeiros encontros curtos e constrangedores. Um café ou coisa do género. Quando se começa logo a aviar salsicha perde-se muita coisa boa, no que diz respeito a conhecer uma pessoa pela primeira vez. Parafraseando um amigo meu, com calma vive-se mais tempo.

João Marques: isso é um sonho impossível para a esmagadora maioria dos homens. Nós a mudarmos de década e a comermos sempre moçoilas na casa dos 20. L I N D O.

Sirigaita: Se um dia vires que estás a passar fome, eu faço como o São Martinho. Paramos no meio do pinhal, estendo a capa no chão para ti, e dou-te a merenda. Foi isso que ele fez ou sou eu que me estou a lembrar mal, correndo o risco de parecer ordinário? É que eu não sou ordinário. Sei ser mas não sou. Não sou não.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Concurso Público

Depois de um saudável ano sem qualquer tipo de compromisso emocional, Pedro M. abre uma vaga para Amiga Colorida 2009/2010. A candidata escolhida terá perspectivas de poder subir para o escalão de Namorada, após o período de estágio. Para poder efectivar a sua candidatura, deverá enviar os seguintes dados digitalizados para o mail do blog:

  • BI
  • NIF
  • Boletim de Vacinas
  • Carta de Condução
  • Comprovativo de Situação Face ao Emprego
  • Certificado Detalhado de Habilitações
  • Fotografia de cara e corpo inteiro, ficando a indumentária ao critério da proponente

Tendo em conta o elevado número de candidaturas esperadas, torna-se necessário especificar alguns parâmetros considerados essenciais pelo comité "Vamos Arranjar Ao Pedro Uma Kona Sem K Mas Que Também Dê Para Levar Para Caminhos Recônditos De Terra".


Requisitos mínimos:
  • Idade entre os 22 e os 28 anos (abrindo-se excepção para candidatas que revelem a a quase totalidade dos factores preferenciais);
  • Conclusão (ou com término iminente) de licenciatura com nome pouco esquisito;
  • Fluência em Português e Inglês, tanto na vertente escrita como falada;
  • Mãos e pés bonitos (com preferência para as mãos);
  • Mamas (não têm forçosamente de ser grandes, mas têm de existir num explendor considerável e ser repenicadas);
  • Sentido de humor (piadas estúpidas);
  • Ser inteligente (mas não mais do que eu, senão desmasculiniza-me);
  • Ambiciosa mas com forte sentido ético;
  • Bons conhecimentos informáticos na óptica do utilizador (tenho mais que fazer que tirar dúvidas estúpidas).

Factores Eliminatórios
  • Adepta de touradas e tunning;
  • Feia;
  • Obesa;
  • Hemorróidas;
  • Sotaque labrego (excepto o sotaque do Porto, que nas condições ideais me provoca magníficas erecções);
  • Voz ligeiramente masculina;
  • Usar Crocs;
  • Pertencer a uma Juventude Partidária.

Factores Preferenciais
  • Praticante regular de ténis;
  • Ter covinhas (na cara);
  • Moradora na zona centro;
  • Viatura própria com menos de 10 anos;
  • Disposição para jogar PS3 para quando não houver energia para brincar aos médicos;
  • Ódio de morte pelos Buraka Som Sistema;
  • Gosto pela praia, a par de cuidados com a sobre-exposição aos raios solares;
  • Lábios quentinhos e humidinhos para dar bons beijinhos na boca;
  • Ter amigas jeitosas e igualmente desesperadas para eu apresentar aos meus amigos mais chegados;
  • Querida mas não melosa;
  • Lady na mesa;
  • Louca na cama;
  • Desenrascada face a vicissitudes estúpidas da vida (já que eu nem sempre sou).

Por favor, não se acotovelem que a caixa de correio tem espaço para todas (acho eu).