sábado, 29 de agosto de 2009

Tenho uma amiga...

... que, de vez em quando, me costuma fazer cobranços do género "daquela vez não te lembraste daquilo" ou "no outro dia pedi-te e não me ligaste nenhuma". Pois bem, ela acaba de cometer o pior erro de todos. Esqueceu-se de me dar os parabéns. Ligou-me há bocado e disse:


- Só agora é que reparei que me esqueci dos teus anos. Ainda por cima estas coisas são importantes para mim. Opá, perdoas-me?

Não é que isso me faça diferença. Sinceramente, desligo-me um bocado dessas tretas. Uma amizade mede-se pelos gestos que os outros têm connosco todos os dias, e não apenas nas datas mais redondas. Quando uma pessoa tem a lata de nos pedir para irmos a Lisboa às 8 da manhã num domingo para carregar móveis, vê-se que só podemos mesmo ser grandes amigos, pelo tamanho do descaramento (pronto, lá vou ouvir amanhã mais um "deixa tar que nunca mais te peço nada"). São estas ocasiões que fazem as amizades, e não o cor-de-rosa de mais um cumpleaños.


- Deixa lá, não é assim tão importante. Já sabes que para mim é um dia como todos os outros, nem andava assim com grandes razões para festejos...

Uma coisa é certa: a minha convivência com mulheres ensinou-me a encarar uma falha destas como se de um tesouro se tratasse, uma manilha de trunfo à espera de engolir um rei e dois valetes perdidos algures numa mão, ao sabor das últimas rodadas. É óbvio que eu podia ter-lhe ligado há mais tempo e espetar-lhe com essa na cara, mas não. Decidi ser gaja. Vou esperar que ela me chateie por causa de uma merda aleatória, e vou-lhe servir o esquecimento do aniversário de bandeja. E não há-de ser um acto isolado.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Mão na bola ou bola na mão?

A lei do futebol indica claramente que, para haver atribuição de penalty ao haver contacto da bola com a mão/braço na área, o jogador que nela toca tem de mostrar intencionalidade, ainda que nem sempre este princípio seja aplicado. Muitas das vezes, mesmo que o jogador não aja no intuito de prejudicar o adversário, considera-se justo proceder à marcação de penalty, bastando para tal verificar-se um desvio desfavorável da trajectória do esférico (e às vezes nem mesmo com consequências tão pronunciadas), indo claramente contra aquilo que as regras ditam.

E agora pergunto-vos:

É possível uma gaja ser uma sonsa de merda sem querer (se bem que inconscientemente as pulsões estão sempre lá), ou apenas ganho o direito de lhe chamar de monte de bosta fumegante no caso da rameira em questão proceder de forma consciente?

Seja qual for a resposta, metade do peso da minha pergunta é retórico. Ela é bovina e ponto final. Quem não concordar, que encare isto pelo prisma da subjectividade inerente à arbitragem. Seja como for, a merda está feita e os adeptos estão descontentes.

domingo, 23 de agosto de 2009

PES 2009

Depois de o A. me chamar a atenção para a RTPn, pelo facto da Pipoca Mais Doce ser uma das convidadas para o debate, começo a notar que os meus critérios de beleza têm mudado. Que a Pipoca é gira, toda a gente sabe. Os seus pés, já toda a gente os viu no blog, normalmente de cima e nem sempre enfiados nos melhores sapatos (perdoem-me as milhares de fãs, sou um gajo com gosto clássico, nada de mariquices demasiado elaboradas e de cores berrantes) . Mas há bocado, no debate, era possível ver a sua silhueta (principalmente do esquerdo), coisa inédita até agora (se calhar, apenas para mim). E amiguinhos, se havia curva perfeitinha, era daqueles pézinhos. Por maior que fosse o domínio da posse de bola da Joana Amaral Dias no debate, sempre que aquele particular plano era seleccionado, eram como se me tapassem os ouvidos com abafos e apenas me sobrasse a visão. Para mim, o melhor do debate estava debaixo da mesa.

Está mais que visto que estou a desenvolver um (novo) fetiche. Atenção, não é nada que me deixe com vontade de andar a chupar dedões sofregamente, mas a olhar também se come. De resto, em termos de quejos, fico-me pelo gouda e pelo flamengo. Voltando aos pés, ultimamente fico entusiasmadíssimo se vir uns bonitos. Ainda hoje à tarde estava no café a ver o Benfica (não por ser do Benfica, mas por apoiar qualquer equipa nacional que jogue contra eles) e muita foi a gaja boa que ali entrou, vinda da praia. Normalmente, o meu radar teria a seguinte prioridade:

1 - mamas
2 - cara
3 - mamas
4 - passa lá para ver o rabo.

Agora, com a bênção do Verão, os pés andam bem mais arranjadinhos, e só olho para a cara depois de olhar bem para eles (embora as mamas continuem no topo; um bom decote é um bom decote). Sempre torci o nariz ao sair com uma rapariga de mãos mal cuidadas ou simplesmente feias, mas agora terei de juntar os pés à lista, mesmo que não tenha pretensões (por enquanto?) a lambê-los. Claro que, diga-se de passagem, falta-me arranjar forma de não serem elas a torcer o nariz primeiro por qualquer merdice minha. Tudo a seu tempo.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Cerimónia de entrega de medalhas

Eu acho que, quando os gajos (e gajas) sobem ao podium, havendo um deles que mesmo estando num degrau inferior, consegue ficar mais alto do que outro, as medalhas deviam ser trocadas. Mas pronto, devo ser só eu, que ainda me preocupo com a justiça desportiva.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Decidam por mim que eu quero é espumante barato e putas a cheirar a lavanda

Como o número da Optimus que tenho já está a ficar demasiado associado aos contactos de trabalho, e como se eu quiser arranjar gaja tenho de me mudar para a TMN que é o que toda a gente tem, decidi mandar vir um telemóvel singelo e aproveitar os pontos de um amigo. Mandei vir o Nokia 5130 em vermelho:


Como eu tenho um azar do caraças nestas merdas, é óbvio que me enviaram o azul em vez do vermelho, mas ao menos está tudo completo e certinho.

Como eu tenho um azar do caraças nestas merdas, é óbvio que me vão enviar a cor certa mas a faltar qualquer coisa essencial ao funcionamento do chaço.

Como eu sou um preguiçoso do caraças nestas merdas, é óbvio que é mais simples perguntar no blog do que me mexer. Será que trocam isto numa loja qualquer da tmn, ou tenho mesmo de usar o formulário de devolução e sujeitar-me ao tempo de espera e ao que vier de novo? É que eu não tenho grande pachorra para esperar. O azulinho até já tá aqui à frente e até é giro, não me choca muito. Simplesmente o vermelho era mais a condizer com a decoração do tipo de bordéis que frequento, e fica sempre bem em cima da mesa, ao pé da carteira e do whisky.

E agora, o que é que eu faço?

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Sinceridade não compensa

- Cheiras muito bem, Pedrinho.

- Obrigado. A higiene pessoal é um baluarte da minha pessoa.

- Tens de me dizer que perfume é esse. É aquele Terre D'Hermès?

- Mas eu hoje não pus perfume...

- Então deve ser do gel de banho. É Dove ou qualquer coisa do género, não é?

- Não. É Gel Dermatológico Inibsa.

- Ah. (revirar de olhos)

sábado, 8 de agosto de 2009

PES = doença?

Nota: PES são as iniciais de Pro Evolution Soccer, um jogo para a Playstation 3 e Xbox 360, entre outros.

Não há blog feminino em que a mulher, fazendo parte de um casal, não se queixe com a obsessão que o marido/namorado/whatever tem com o PES. Chega até a ser uma referência entediante. Deixem lá os rapazes fazerem o que lhes apetece. Sempre é melhor do que andarem a foder outras.

Dito isto, vou ter de vos dar razão. Como é que é possível um homem perder tanto tempo com aquela merda? Será que estas mentes brilhantes não se lembram de mais nada para fazer? O supracitado foder, por exemplo. Se fossem só os namorados das gajas feias que jogassem PES para compensar a falta de jogo noutros departamentos, ainda percebia. Mas não, os namorados das aceitáveis e até mesmo os das boas, são viciados naquele joguinho de merda.

Ó meus grandes atrasados mentais, porque é que em vez de jogar PES não vão jogar Fifa? Desde 2008 que é melhor em tudo. Os gráficos são melhores (os jogadores são facilmente reconhecíveis, ao contrário dos do PES, que parecem ser de plástico e com o cabelo pintado por cima), o som é melhor (nem a bola soa a uma bola, nem as claques soam a um bando de arruaceiros), tem uma profundidade muito maior em termos de jogabilidade, e a estratégia aproxima-se bastante do futebol real. Embora o Fifa sempre fosse o pioneiro, admito que houve ali uns aninhos em que se deixou ultrapassar. Seja como for, neste momento já não há desculpa. Ah, e ainda por cima, no Fifa, nunca foi preciso andar a editar os nomes dos jogadores e equipas para podermos simular o que se passa na realidade.

Avizinha-se dentro de dois meses a escolha mais difícil para um homem. Que jogo devemos comprar? PES 2010? Fifa 2010? Vejam lá se desta vez fazem a coisa acertada. Que escolham a gaja com quem andam ao calhas, ou baseados num ou dois atributos, ainda percebo. Agora um jogo de futebol... Pensem pelo menos um bocadinho na importância daquilo que estão a fazer.

Vá, quero começar a ler nos blogs femininos que elas andam a ser mal fodidas e se sentem postas de parte porque o gajo perde horas no Fifa, e não no PES.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Qual é a diferença entre guisar e assar?

Eu não consigo deixar um pipi guisado.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Quando menos esperares, ficas a falar p'ró Camões

Já é a segunda vez que uma gaja da qual levei tampa me diz que não entende as mulheres, e que não dá para perceber como é que eu estou sozinho, e que devo ter resmas delas atrás de mim, e que eu é que simplesmente não lhe conto nada. Depois começa o entediante monólogo a exaltar as minhas qualidades pessoais. Fosse eu um atrasado mental e ficava a achar que era um gajo perfeito, tipo o Cristiano Ronaldo.

Acontece que, para além de eu conhecer bem a minha personalidade, tenho espelhos em casa. Sei muito bem em que divisão é que jogo. Se fosse assim tão bom, tão fantástico, TINHAS MAS ERA ABERTO AS PERNAS (a falta de paciência leva-me a ser boçal, mas eu gosto).

A estocada final é a célebre "quando menos esperares, vais ver que ela aparece". Xinapá, que nervos do caralho, especialmente quando não puxei a conversa para esse lado. Fico até com dúvidas se será pior dizer isso como frase feita ou acreditar mesmo que as coisas são assim. É claro que é quando eu menos esperar, tendo em conta que os milagres não são fenómenos calendarizados. Uma coisa é certa: não estou assim tão desesperado ao ponto de ter pachorra para ter conversas destas. Mais que fazer.