segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

We are the world 25

Afinal o Michael Jackson não morreu. Estão a acusar impunemente aquele senhor médico e isso não está certo. Tanta coisa, tanta cerimónia de homenagem, e afinal o gajo aparece a cantar a nova versão do "We are the world" ao lado de 730 pretos e meia dúzia de brancos (a Celine Dion, o Tony Bennett, o próprio Michael e mais dois ou três dos quais não me lembro). Aliás, esta é uma música extremamente racista. Eu sei que também há artistas brancos com merda suficiente na cabeça para aceitarem aparecer naquele vídeo farsola, mas isso não quiseram eles mostrar. Enfim, resta-me demonstrar a minha indignação.

Falando no tema propriamente dito: ora aqui está uma música que já tresandava a bosta nos anos 80 e mesmo assim conseguiram arranjar maneira de a tornar pior. Um gajo pensa que já vai acabar e depois aparece mais um preto a fazer uma voz super esquisita, depois "desta é que é, graças a deus" mas afinal ainda metem depois um rap qualquer e mais uma guitarra, e é um enchimento de chouriços que não se pode. A certa altura olhei para o contador do vídeo, ainda só ia nos 5 minutos e tal e ainda faltavam 3 para acabar aquela merda.

No final ainda aparece o Lionel Ritchie a fazer um apelo para contribuirmos para a causa. Eu até sou uma pessoa solidária, mas a música é tão má que qualquer pessoa que veja, não só perde a vontade de ajudar, como até fica é com vontade de espetar com uma carrada de bombas em cima daquilo que restou do país.

Eu só espero é que os danos pessoais e materiais na Madeira não se agravem. Nem é pelas pessoas, que com o mal dos outros posso eu bem. O meu medo é que a tragédia alastre e algum monte de merda americano famoso decida pegar noutra música dos anos 80 para ajudar as gentes das nossas ilhas.

Quem quiser comprovar com os próprios olhos que a música é mesmo má, que vá à procura dela no youtube. Recuso-me a colocá-la aqui. Neste blog só há espaço para cenas fixes, como por exemplo as maminhas da Marta Leite Castro (mas só mesmo as maminhas).

3 comentários:

Sam disse...

Entonces, desaparecido...

Calma já não digo mais. Ainda me envias uma música másó para eu me vomitar todo. Cuida-te!

Miss quero-paz-no-mundo-e-tal disse...

Estava mesmo a precisar de um update cultural, obrigada.

Polícia Judiciária disse...

Realmente a música ficou qualquer coisa de muito mau...

Achei bonito foi o facto de o Michael, mesmo a cantar depois de morto, conseguir abafar a voz da sua irmã... Enfim...

Já não chegava aos habitantes do Haiti ficaram sem casa, ainda por cima levam com esta música em cima...