domingo, 6 de junho de 2010

É curioso que a BP...

... não consiga conter na sua totalidade a maré de crude no Golfo do México. Digo que é curioso porque me faz lembrar a primeira vez que amei uma moça à canzana.

Passou-se o seguinte:

- Ena pá que isto é tão bom. É mesmo como as gajas de sexta à noite do canal Viver Vivir faziam. Porra que isto é capaz de ser o melhor dia da minha vida. AI QUE SE NÃO TENHO MÃO NISTO MAIS UNS SEGUNDOS E COMEÇO A VERTER DA JUNTA.

E foi aí que comecei a pensar em dois camiões cisterna, um da Galp e outro da BP, que se ultrapassavam, andando um a oitenta e oito e outro a noventa quilómetros horários, como é habitual. É um processo meio demorado. Foi remédio santo para combater o excesso de entusiasmo, já que me retirou a cabeça de cima do processo amoroso, enquanto a de baixo continuava em vigorosa basculação, alheia ao supracitado entusiasmo.

E por isso não percebo esta ineficácia da BP em estancar o derrame. Se funciona comigo, devia funcionar com os outros.

4 comentários:

Filipa disse...

ahahahahahah

verter da junta


ahahahah

(agora vou ler o resto)

S* disse...

Oh meu deus... que raio de solução.

Rita Maria disse...

Muito bom!
(mesmo que eu discorde da prática sexual masculina de pensar em coisas desagradáveis para atrasar a coisa)(especialmente quando a coisa está uma grande seca e a gente já está a pensar em coisas prosaicas por default - tenho de mudar este papel de parede...)

Miss quero-paz-no-mundo-e-tal disse...

Amei este post a canzana.