terça-feira, 1 de junho de 2010

Eurovisão 2010

Sempre achei que a única coisa mais panascona que uma parada gay alemã era o Festival da Eurovisão. Aliás, não é uma mera opinião, é um facto.

Se Portugal quer ter a mais pequena hipótese de ficar bem classificada (ou até ganhar) naquele tipo de concursos, tem de fazer um casting para gajas com ar de puta fina e metê-las a cantar em inglês.

Escolher a Filipa Azevedo e aquela versão específica em português para representar o nosso país foi como ir lá dar pérolas a porcos. A miúda simplesmente canta demasiado bem e demonstrou demasiada classe.

Filipa:

Cresce mais dois aninhos, mete umas mamas iguais às da Fafá de Belém (com a diferença de não haver o risco de roçar os joelhos), carrega no eyeliner, volta lá em 2012 e esforça-te um bocado menos. És capaz de ter mais pontos. A única desvantagem é que eu vou passar menos tempo a rever no youtube. Não sei, escolhe o que preferires.

4 comentários:

Martini Bianco disse...

Tens toda a razão. Aproveitei para ver apenas uns flashes desse festival que até é bom pra lavar a vista mas no entanto caso fosse literalmente assim a jovem e voluptuosissima cantora da Arménia teria ganho com larga margem (vai ver ao youtube)

Izzie disse...

pois, é o que eu ando a dizer há já algum tempo. mas ninguém me ouve

S* disse...

ahahah

É bem verdade... a menina era muito pão sem sal. Olha que o grego Sakis Rouvas eu lembro-me perfeitamente e não cantava grande coisa.

Capitu disse...

Eu tenho um amigo gay que lá esteve durante estes 10 dias na Noruega. isto já é icone.