terça-feira, 3 de agosto de 2010

2 da manhã

2 da manhã. O silêncio da noite é abruptamente interrompido por um carro que cruza a rua, quiçá sem motivo, sem intenção. Prossegue simplesmente porque sente que não pode parar. Deixo de o ouvir mas não desanimo. Sei que não estou sozinho. Tenho-te a ti, cocó.

Se cagar agora este bocadinho que ainda é apenas um principezinho, um projecto de cagalhão-rei com brinde e sem fava, talvez ainda consiga cagar de novo na quarta-feira de manhã, antes da viagem rumo ao sul, deixando o tripame bem preparado. Talvez. Se aguentar o hoje e o amanhã, cago de certeza na quarta de manhãzinha. Havendo mal estar amanhã, serviria sempre de estágio para a indeterminação dos dias que se seguem.


Escolhas...

PS: amanhã acabaram-se as frutas, cereais e doces.

PS2: se na farmácia for atendido por uma gaja boa, disfarço, peço um paracetamol qualquer, e vou pedir o Imodium a outro lado, onde seja atendido por um farmacêutico de meia idade com bigode.

2 comentários:

Lúthien Tinúviel disse...

Estive lá em 2007 e lembro-me de haver um WC na vila tão limpinho que até cegava! Até tinha duas senhoras que de 3/3 pessoas iam desinfectar aquilo.
Para quem não gosta de alapar o cu em sítios desconhecidos e duvidosos, aquilo, dentro do contexto, era um paraíso ^^

Pedro M. disse...

Coordenadas de GPS, já. Por favor...