segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Era dos poucos gajos...

... sobre quem um homem podia dizer que tinha pinta, sem ter receio de ser apelidado de homo. Proporcionou-me a melhor decapitação (humana) de sempre. Sempre pensei que se fosse safar.

Não safou.

Se algum dia tiver de sacar a cabeça a alguém com um gladius, lembrar-me-ei de ti.

4 comentários:

S* disse...

Maldita doença.

V disse...

És um optimista romântico, apesar do periscópio nos momentos de intimidade...
É nestas alturas que as pessoas se revelam.

Uma perda lamentável, esta, de quem parecia ter nascido para o Spartacus...
(suspiro)

AC disse...

A leucemia é lixada... teve alguns meses de vida desde o diagnóstico da doença...brutal, fulminante.
Faz-me pensar na fragilidade que é a vida...

A info-excluida disse...

Sou eu a única pessoa que está preocupada com o facto de nunca mais teres tido uma "última (boa) ceia"?

(nada a ver com o desgraçado do defunto, que tanta faltinha me faz)