sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Filha da puta da austeridade

Há quem ponha os filhos no karaté. Outros preferem o ballet (filho meu, rapaz, tem permissão para se meter nisso no dia em que cagar diamantes).

Já o actual governo, pôs o país na quimioterapia. Não é uma actividade tão bonita como a jardinagem ou a pesca submarina, mas são escolhas.

Fazer quimioterapia é tramado. Cai o cabelo, ficamos fracos e magritos, e a vontade de andar a correr para a casa de banho, com o objectivo de sabermos qual era o recheio do bolo digestivo (viram o que fiz aqui? viram?), aumenta substancialmente. Lá está, tramado.

Ainda assim, e mesmo estando a coisa num estado muito avançado, prefiro ter poucas hipóteses do que zero hipóteses. É que este cancro não é de agora, sendo que andar a gritar que vai tudo correr bem, não tomando medidas correctivas à altura, não vai mudar o facto de que as coisas não estão bem. No fundo, é melhor abrirem-nos os olhos e mandarem-nos mexer o cú do que taparem-nos os olhos enquanto somos abalroados no supracitado sem o saber. O efeito placebo funciona até ao momento em que deixa de funcionar, que é mais ou menos o tempo dos meninos irem ao recreio e voltarem para a sala.

Ora se Deus não é capaz de fazer uma merda que seja bem em sete dias, não há-de ser um governo de direita que há-de conseguir endireitar este país em cento e não sei quantos dias (agora está na moda fazer balanços de governação a cada número redondo). Não sei sequer se a mudança se verificará a médio prazo, quanto mais a curto. Mais, não sei se vai resultar. Mesmo assim, prefiro continuar na quimioterapia. Já quem critica incondicionalmente, devia ter pouco mais de paciência (ou de vergonha na cara, dependendo dos casos). É que isto não vai lá com medicinas alternativas.

6 comentários:

A Tua Kika Preferida... disse...

Hi5, brother!

ANGIE disse...

Concordo com isso tudo. Só não me agrada que as medidas voltem a criar situações de desigualdade.

S* disse...

Infelizmente, os cortes têm mesmo de ser feitos.

A info-excluida disse...

a homeopatia da esquerda?

AC disse...

Estas medidas vão mergulhar o país numa recessão económica sem precedentes além de contribuírem fortemente para o aumento das doenças psiquiátricas, depressões e afins, e aumentarem as taxas de suicídio.
A quimioterapia quando o doente está frágil e demasiado enfraquecido repensa-se...porque senão mata:)

A info-excluida disse...

Podemos sempre optar por deixar o doente o mais confortável possível e mandá-lo para casa. Depois será de bom tom mandar flores para a família...