quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Reality Check

Eu: Já reparaste que a maior parte das pessoas não gosta do que faz? Que são profundamente frustradas e que apenas acordam todos os dias com o objectivo de trabalhar para ir sobrevivendo, na esperança de ter ocasionais momentos de felicidade? Que por vezes essa felicidade nem sempre é mesmo felicidade, mas apenas o experienciar da não dor, do não sofrer, do atenuar de uma medíocre existência? Que são pedras basilares, embora substituíveis, de uma gigantesca pirâmide que suporta apenas o sucesso de alguns escolhidos? Que mesmo tendo a capacidade e a paciência para fazer uma boa mousse, lutam por míseros tostões que os afastam da aquisição de chocolate, ovos e demais ingredientes de qualidade, remetendo-os para a escolha de uma insatisfatória mousse instantânea do Continente?

Ela: Já, amor. A isso se chama crescer e ser adulto.

Eu: ...

Ela. There, there.

2 comentários:

O Ramalhete disse...

só queria ser inteligente por comentar.

AC disse...

A isso chama-se viver, porque a vida são responsabilidades, lutas diárias, desconforto, e ocasionalmente alguns momentos de satisfação, bem estar e a tão desejada felicidade: Este é o mundo dos adultos...ah, pois é!