quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Considerações acerca da ergonomia de processos elementares

Há duas escolas de pensamento diferentes. De um lado estão os que cagam e limpam o cu sem se levantarem da sanita, pondo a mão com o papel por trás. Do outro estão os que se levantam, mantendo apenas as pernas ligeiramente flectidas.

Não serei arrogante ao ponto de dizer que uma está mais correcta do que a outra, tomando, inevitalmente, partido de um dos lados. Há pontos positivos e negativos em ambos os procedimentos. Sinto que serei capaz de ser suficientemente claro, já que este liégeois de chocolate e nata do Pingo Doce que tenho na mão me está a deixar inspirado. Haverá coisa melhor do que misturar uma agradável sobremesa com o prazer da escrita? Claro que há: foder e jogar Playstation (e se for ao mesmo tempo, ui).

Limpar o cu de pé tem dois inconvenientes que, para alguns, são incontornáveis. Caso se ande a comer bastante fibra, seja por via da fruta ou não, levantarmo-nos da sanita pode levar a um encontro catastrófico entre as nossas bordas. Imaginem Moisés a separar as águas do Mar Vermelho, de repente recebe um telefonema, distrai-se, e todos os que circulavam alegremente pelo leito seco, vêem-se envolvidos pelas águas que antes se encontravam estáticas. Ah, e imaginem também que o mar não é vermelho, é castanho. Pois. Junte-se a este cenário uma mentalidade de aversão à nojice e/ou falta de bidé, e temos uma visão dantesca daquela que é a actividade humana que mais nos une. De resto, limpar o cu de pé (não esquecer as pernas ligeiramente flectidas) coloca o mais viril dos homens na posição mais amaricada que pode haver (pior só o Cláudio Ramos a fazer o pino). Já experimentaram olhar para o espelho?

Peço aos que se limpam sentados para tirarem esse sorrisinho trocista da cara. Não estão isentos de vergonha. A verdade é que ânus é o orifício mais sujo que pode haver no corpo humano (obviamente haverá uma ou outra excepção à regra). É por isso que o sentamos na sanita. Nenhuma outra parte do corpo se encontra tão perto de tão vil receptáculo. Portanto, para limparmos o cu sentados, a mão vai ter de violar essa barreira invisível e moral que se estende para lá do tampo. Embora não queira dizer necessariamente que vá tocar em alguma coisa, a verdade é que já passou para o triângulo das bermudas da dignidade humana. Uma vez dentro da sanita, tudo é válido e sabe-se lá onde vamos parar. Imaginam-se a fazer isso numa casa de banho pública? Pôr a mão abaixo do nível a que milhares de pessoas já puseram o cu? É por todos estes factores que considero esta modalidade apropriada apenas para quem se alivia em casa, necessitando de igual modo uma sanita de áreas generosas, com margem de manobra para a mão se movimentar. No fundo, é um gesto que implica muita intimidade entre nós e a retrete. Ou isso, ou caso toquem na loiça sanitária, não estão muito preocupados com o facto de ser obrigatório amputar a mão logo de seguida.

E vocês, depois de dar à luz pelo cu levantam-se ou mantêm-se sentados? Isto bem equilibrado ainda dá para fazer uma futebolada entre as duas tendências. Sempre era uma espécie de solteiros e casados do cagalhão.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Imprescindível...

... no presépio de qualquer casa portuguesa:

Cláudio Ramos, Manuel Luís Goucha e Luís Borges.

Os Três Gays Magros.


Votos de um Feliz Natal para todos vocês, caralho.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

E amizade é isto

Um amigo liga-nos. Não podemos atender porque estamos a cagar. Limpamos o cu e devolvemos a chamada. O amigo não nos pode atender porque sentiu vontade de cagar no preciso instante em que se deu o contacto falhado.

O entrosamento pode dar-nos coisas muito bonitas.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

50/50

A minha namorada é advogada. Quanto mais tempo passamos juntos, mais gosto dela e menos de direito.

Dor de cotovelo

Fico um bocado surpreendido com a quantidade de comentários que duvidam não só das competências como da necessidade de criação de workshops por parte de um estimado membro desta nossa blogosfera.

Digam o que disserem, se alguém sabe como conquistar um homem, é ele.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Não, não, não, por favor não. NÃAAAAAAAAAAAAAO!

Namorados por toda a parte vão sofrer.
Amigos coloridos por toda a parte vão sofrer.
Maridos por toda a parte vão sofrer.
Primos de gajas mais feias do que tentativas de abóbora do dia das bruxas vão sofrer.
Amigos que querem ser mais do que amigos mas que nunca vão passar disso porque elas preferem ter lá dentro a pichota dos que se estão a cagar pra elas e não para quem as trata bem vão sofrer.
Fufas por toda a parte vão sofrer.

Vai ser feito o Sexo e a Cidade 3.

Homens em Timor vão ficar na mesma.