quarta-feira, 21 de março de 2012

Dia Mundial da Poesia

Era uma vez uma rapariga do Minho
Que não jogava com todo o baralho.
Naquela até o Arrumadinho
Conseguia enfiar o caralho.

Feliz coinciência;
Era fã da sua escrita.
Seria falta de sapiência?
Teria cultura geral de pita?

Não, era apenas maluca.
Nem era por ser oferecida.
Arrumadinho deu-lhe com a fruta
Com tanta força que até fez ferida.


Queria pedir ao Arrumadinho, desde já, as mais sinceras desculpas por ter usado o seu nome na pequena comemoração desta efeméride. Eu sei que ele nunca comeria uma minhota. Falta de estilo, não é?

1 comentário:

Anónimo disse...

És um poeta!