segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A desculpabilização da estupidez

Em quase todas as ocasiões em que fui chamado de céptico, o problema era a pessoa em questão ser demasiado susceptível à crendice. De facto, até aqueles que o fazem são capazes de ser chamados de cépticos por outros, desde que a parvoíce apregoada seja demasiado alarve perante seu limiar de credulidade.

Por exemplo, se andarem por aí a espalhar que a minha pichota é pequena, a esmagadora maioria das pessoas rir-se-á sonoramente. "Não é possível", irão retorquir. Portanto, se ninguém acredita nisto, fruto da facilidade da prova, porque é que alguém há-de acreditar que a Alexandra Solnado fala com Jesus? É que até a possibilidade de Pedro Santana Lopes, quando presidiu ao Sporting, ter consultado Francisco Sá Carneiro sempre que alguma dúvida surgia, sugere uma plausibilidade esmagadoramente superior

Estremeço de urticária sempre que me perguntam de que signo sou. Ultimamente costumo dizer que não sou de nenhum, até que algum olhar mais antisocial me atinja. Lá está, vou começar a responder que sou do Sporting, até porque, com a crise instalada, são capazes de ter pena e parar de me chatear mais depressa.

Mas isso nem é o pior, é apenas embirrância minha com um costume tão enraizado. Mau é quando alguém tenta desculpar o seu feitio de merda (ou justificar o comportamento de outrém) com o facto de de esse alguém ser do signo Carneiro. Quer dizer, carneiro até é, mas não necessariamente de signo. Comportamentos opostos à norma podem sempre ser justificados com o ascendente de outra merda qualquer.

- Ai vizinha, então não vê que por a Maria ser Balança ninguém pensou que fosse  capaz de fazer mal ao moço? Mas lá está, o gaiato é Carneiro e provocou-a tanto que ela acabou até por ser demasiado puta com a mãe dele. Lá está aquele ascendente Escorpião fodido a fazer das suas!

Espanta-me até a explicação mais prevalente para putos que submetem outros a bullying ser uma grande probabilidade de terem sido também eles vítimas no passado, especialmente quando são provenientes de lares disfunccionais. Não, eles devem é ser de signos de fogo. Se fossem Caranguejo ou Peixes já não batiam nos meninos.

Até aposto que há uma relação directa entre o apedrejamento durante a manifestação da semana passada e a calma com que a polícia aguentou todo aquele tempo até intervir. Se fosse comigo, com medo dos danos que os trafulhas pudessem causar (mais humanos do que materiais), teria partido logo a tromba aos primeiros, para que a coisa não alastrasse. Provavelmente a Maya escreveu numa das suas colunas que os nativos de Touro veriam a sua saúde privilegiada nessa semana e o comandante da PSP, ciente das suas responsabilidades estratégicas, perguntou umas horas antes, em voz alta - quem é que aqui é Touro, caralho - sem grande espanto por parte dos agentes, de certeza habituados à infalibilidade destes vislumbres de actividade cognitiva por parte da malta da astrologia (com letra pequena, como merece).

Em suma, se me querem falar do Zodíaco, falem-me disto (que eu curtia à brava quando era puto):


Já agora, vejam como os portugueses são capazes de apaneleirar uma coisa que, por si só, já não era das mais másculas do universo:


Terá sido o Paulo Cardoso o responsável por esta versão?

Sem comentários: