quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Uma polaca para 100 mil

Acabei de ler numa notícia da Visão que há uma polaca interessada em viajar pelo mundo e ter relações sexuais com cem mil homens, de modo a estabelecer inequivocamente um recorde mundial. Diz ela que é uma espécie de maratona sexual. Maratona não, ultramaratona. Se esta badalhoca fosse atleta era o Carlos Sá da queca. Imagino até que os relatos das dificuldades no decorrer da prova sejam idênticos aos dele.

Percebo agora o olhar guloso da maioria dos homens com mais de cinquenta anos com quem me tenho cruzado. É que parece que a tipa pretende dar um saltinho aqui a Portugal. Tendo em conta o número de gajos que ela quer comer, as probabilidades da sorte grande (tem pouco de magreza, a moça) vir a calhar a alguém com as partes mais bafientas é mais que muita. Não esperem é que seja de borla. Todas as coisas boas na vida têm um preço e esta não é excepção, ou não cobrasse ela nove euros e trinta cêntimos pela inscrição.

Não acho caro. Um gajo mete uma moeda de cinquenta cêntimos num daqueles carrinhos do Noddy ou na Abelha Maia e aquilo só sobe e desce durante trinta segundos. Nem sequer há final feliz (a menos que não estejam sozinhos e caibam todos). Já a polaca, promete até vinte minutos de diversão, podendo a moeda ser inserida na totalidade das ranhuras estipuladas por Deus Nosso Senhor para o efeito (não tenho dúvidas de que Ele sabia que, se dá para meter, é porque a malta vai tentar).

Eu já estou servido de senhora, embora sobejamente mais asseada; se não estivesse, não sei se resistia. Uma coisa é certa: este tipo de iniciativas fazia muita falta quando eu andava no secundário. É claro que se fosse com a mesma rapariga, ela na altura devia ter uns dez ou uns onze anos de idade (ou menos) e eu não sou desses. Mas porra, quando eu estava no décimo ano também devia haver polacas com graus de quenguice similares. Que não fosse pela falta de 1800 escudos, que esses tinha-os eu.

2 comentários:

AC disse...

Ela tem um ar de badalhoca. Quem é o gajo que quer comer aquilo? Livra um buraquinho num tijolo é que era...

S* disse...

Mas que porcalhona.