segunda-feira, 23 de março de 2015

Se não precisasse tanto deles, arrancava-os

Já toda a gente sofreu por ficar com uma música ranhosa presa nos ouvidos durante horas a fio. O que não é comum é o efeito, para além de horas, durar três dias. Pior ainda é, em vez de uma, haver três músicas em repeat sequencial dentro da minha cabeça. Tendo em conta o gosto duvidoso das músicas que nos fazem perder a sanidade aos poucos, neste momento eu já só pedia que fosse uma combinação de qualquer coisa da Shakira, Enrique Iglésias e, quiçá, Xana Toc Toc.

Mas não, a mim tinha de me calhar o novo anúncio das Oreo (mostra-me como as separas lambes e mergulhas!), o genérico dos Olhos de Água, e o hino do novo movimento cívico dedicado ao preso político, perdão, político preso, José Sócrates, Sempre.

Para ir dar ai inferno não é preciso sair de casa, basta virar os olhos para dentro.

Sem comentários: