terça-feira, 9 de junho de 2015

Barraca do Inferno

Sendo que uma pessoa, para estar informada, tem obrigatoriamente de ver o Trio de Ataque, O Dia Seguinte, o Playoff, o Tempo Extra e outros que tais, como é que é possível sobrar tempo a alguém para ver a Barca do Inferno? Convenceram-me a ver um, com o argumento de que aquilo era só mulheres, mas nem sequer havia nudez (se bem que a falta deste requisito nem sempre é um ponto negativo) e não discutiram nem um dos jogos mais polémicos do fim de semana.

Não conseguindo fugir, no entanto, à mini-polémica do momento (que nunca estaria talhada para superar o mediatismo da transferência de Jesus para Alvalade e a tentativa do ex-PM de se tornar no Mandela português quando não passa de um Zico), resta-me desejar que alguém ofereça prontamente um voucher para uma massagem à Manela, que isto de uma pessoa se enervar assim tanto não pode fazer bem à saúde.

E a Isabel, já respondeu? Pergunto por mera curiosidade e não como forma de pressão, que as narrativas são como Roma e Pavia.

Sem comentários: